De norte a sul, conheça os estádios mais carismáticos da Copa do Brasil 2019

Nesta edição da Copa do Brasil 2019, a torcida brasileira tem a oportunidade de acompanhar os diversos times dos mais variados cantos do país. Com os 91 clubes participantes da competição, as cores, cantos e tradições fazem parte do espetáculo maior que acontece do norte ao sul brasileiro. Por isso, vamos elencar os estádios mais carismáticos do torneio e as ligações que possuem com os seus respectivos estados.

Luis Fernando Filho
Jornalista formado na Universidade Federal de Santa Maria (2018), 22 anos, e fanático pelo futebol bem jogado para além das quatro linhas. Twitter: @luisfernanfilho/Insta: @luisfrrs

Crédito: Reprodução/Twitter

Desde o começo da competição em fevereiro, muitos estádios já foram palcos dos jogos que abrilhantaram essa edição, sendo grande parte desses no interior dos estados brasileiros. Além disso, temos os gramados das mais diversas formas e variações, de acordo com o estado e a cultura de cada cidade e clube específico.

Aproveite e desbrave o mapa da Copa do Brasil nesta pequena lista organizada pela reportagem. Para você, quais são os estádios mais carismáticos desta Copa do Brasil?

Estádio Albertão- Altos e River (PI)
Capacidade atual: 52.296

Um dos grandes palcos desta edição da Copa do Brasil é, sem dúvidas, o Estádio Governador Alberto Tavares Silva, ou melhor, o famoso Albertão. Situado em Teresina, capital piauiense, foi inaugurado em 1973 e passou por reformas nos últimos anos.

Mesmo com os problemas estruturais recorrentes, o Gigante da Redenção é considerado como a maior estrutura do estado em condições para receber partidas de futebol, tendo servido nesta edição para os jogos do Altos e o River, ambos eliminados ainda na primeira fase do torneio. Atualmente, o estádio é utilizado por clubes de dentro e fora de Teresina dependendo da competição e as exigências dos organizadores.

Estádio Passo d’Areia- São José (RS)

Capacidade: 16.000

Entre todos os clubes que participam da competição desde a primeira fase, o Passo d’Areia, do São José, em Porto Alegre, é o único estádio com gramado sintético. O Zequinha enfrentou a Chapecoense dentro de casa, no empate sem gols que não garantiu a classificação para os gaúchos. Acanhado e cada vez mais modernizado, o time gaúcho dispõe de um dos gramados mais charmosos desta Copa do Brasil.

Estádio Annibal Batista de Toledo- Aparecidense (GO)
Capacidade: 4.800

Um dos menores estádios nessa edição da Copa do Brasil, o Anníbal Batista foi o recente protagonista do duelo entre Aparecidense e Ponte Preta. O jogo terminou com a vitória do time goiano, após imbróglios judiciais que culminaram na remarcação da partida, tendo novamente os goianos como vitoriosos e com vaga garantida. Situado em Aparecida de Goiânia, o estádio é um verdadeiro caldeirão incendiado pelos torcedores do clube. Como vocês podem ver, a torcida acompanha o time quase dentro do gramado.

Estádio São Benedito (Diogão)- Bragantino (PA)

Capacidade: 11.000

O Bragantino do Pará voltou a participar de uma competição nacional, após 20 anos, com uma bela festa da torcida que lotou o estádio para presenciar a vitória do Tubarão sobre o Asa (AL). Além da classificação, os torcedores deram um show durante 90 minutos da partida, mostrando toda a paixão por futebol no interior do estado, em Bragança.

Estádio Gigante do Norte- SINOP (MT)
Capacidade: 13.000

Casa do Sinop (MT) durante a primeira fase da competição, o Gigante é mais um dos belos estádios nos moldes interioranos, acanhado e abarrotado de torcedores fanáticos pelo clube mato-grossense. Infelizmente para o futebol local, o Galo do Norte não passou adiante na Copa do Brasil, mas presenciou a todos diante do Santa Cruz (PE) uma atmosfera típica do contexto regional.

Estádio Roberto Siqueira Costa (ROBERTÃO)- SERRA (ES)
Capacidade: 2.000

Na lista dos estádios mais carismáticos- e também histórico- não poderia faltar o famoso Robertão, como assim é conhecido no Espírito Santo. O estádio que já foi palco de grandes torneios nacionais nas décadas de 60 e início de 70 presenciou, em 2019, a quebra do tabu dos times capixabas na Copa do Brasil.

Ao derrotar o Remo, por 1 a 0, o Serra classificou-se para a segunda fase do torneio, sendo apenas o segundo clube do estado a chegar à segunda fase, em 29 edições passadas. O último capixaba com tal mérito foi o Linhares na edição de 1994.

Estádio Domingos Silveira Gonzalez- TUBARÃO (SC)

Capacidade: 2.300

A equipe de Santa Catarina não passou da primeira fase da competição, mas o estádio na cidade de Tubarão, onde o time manda seus jogos, vem recebendo reformas nas estruturas. Além disso, como você pode bem ver logo abaixo, os domínios do clube se transformam quando a equipe entra em campo, tornando-se um verdadeiro espetáculo para o aproximado de 2.300 lugares disponíveis na cancha.

LEIA MAIS: Há 15 anos, clube do interior gaúcho derrotava o Palmeiras e fazia história

A participação histórica do Avenida na Copa do Brasil e a saga dos torcedores que viajaram até SP

Morte de ídolos, quedas e ascensão: como a torcida do Brasil de Pelotas reconstruiu o clube