Em encontro com Bolsonaro em Brasília, presidente da Fifa reafirma não reconhecer Flu e Palmeiras como campeões mundiais

Nesta quarta-feira (10), o presidente da Fifa, Gianni Infantino, e o novo presidente da CBF, Rogério Caboclo, se encontraram com o presidente da República, Jair Bolsonaro, em Brasília. Infantino manteve sua posição dos últimos dias e reafirmou não reconhecer os títulos mundiais de Palmeiras e Fluminense.

Matheus Leal
Colaborador do Torcedores

Crédito: Marcos Corrêa/Divulgação Ministério do Esporte

A nova declaração foi feita logo após o almoço com Bolsonaro, no Palácio do Planalto. Segundo Infantino, é “muito complicado” reconhecer as Copas Rio de 1951 e 1952 como títulos mundiais. E a possibilidade da Fifa mudar de ideia é praticamente nula.

“Não, isso é muito complicado (reconhecer os brasileiros como campeões mundiais). Já decidimos que são campeões do mundo as equipes campeãs a partir de 1960. Os demais, creio, no Brasil, e falamos também disso (com Bolsonaro), e no mundo, têm que olhar para o futuro e não para o passado”, disse o presidente da Fifa.

Perguntado se esse foi um tema debatido com o presidente Bolsonaro, torcedor declarado do Palmeiras, Infantino disse aos risos que não foi dessa vez. Porém brincou afirmando que o assunto será pauta numa segunda visita. Além disso, elogiou o mandatário brasileiro: “Ele é muito melhor que eu no futebol. Na próxima vamos marcar uma partida”, brincou.

LEIA MAIS

Facebook e Fox Sports negociam e jogos da Libertadores desta quinta já devem ser televisionados