‘J League’ tem rodada recheada de confrontos diretos pela ponta da tabela

Campeonato Japonês chega à 7ª rodada com briga intensa pelas primeiras posições. A diferença entre o líder Sanfrecce Hiroshima e o 7º colocado, Vissel Kobe, é de apenas quatro pontos. Três jogos entre os sete primeiros colocados incendeiam o final de semana nipônico.

Iberê Riveras
Colaborador do Torcedores

Foto: Divulgação

Não é todo dia que numa competição de pontos corridos que envolve 18 equipes acontecem três confrontos diretos entre os sete primeiros. Pois é o que irá acontecer no Japão neste sábado (13) e domingo (14).

O líder Sanfrecce Hiroshima visita o Vissel Kobe (7º), o vice-líder Tokyo recebe o Kashima Antlers (6º) e o Yokohama Marinos (5º) recepciona o Nagoya Grampus (3º). Os três primeiros colocados da ‘J League’ garantem vaga na Liga dos Campeões da AFC, que envolve os melhores de 14 países asiáticos.

A decepção deste ano, por enquanto, fica por conta do Kawasaki Frontale, atual bicampeão, que ocupa apenas a 10ª colocação.

7ª rodada

Sábado
Cerezo Osaka x Consadole Sapporo
Yokohama Marinos x Nagoya Grampus

Domingo
Tokyo x Kashima Antlers
Vissel Kobe x Sanfrecce Hiroshima
Oita Trinita x Vegalta Sendai
Shonan Bellmare x Matsumoto Yamaga
Gamba Osaka x Urawa Red Diamonds
Sagan Tosu x Kawasaki Frontale
Jubilo Iwata x Shimizu Pulse

Artilharia tupiniquim

A presença de brasileiros por aquelas bandas segue tão frequente que dos 26 maiores marcadores, dez são ‘brazucas’.

Atrás de Fujimoto, do caçula Oita Trinita, com 6 gols, estão:

Anderson Lopes, do Consadole Sapporo (ex-Avaí, Athletico), com 5;
Ademilson, do Gamba Osaka (ex-São Paulo), com 4;
Gabriel Xavier, do Nagoya Grampus (ex-Vitória, Sport), com 3;
Marcos Júnior, do Yokohama Marinos (ex-Fluminense), com 3;
Diego Oliveira, do Tokyo (ex-Ponte Preta, Bahia), com 3;
Edigar Junio, do Yokohama Marinos (ex-Bahia, Joinville, Athletico), com 3;
Jô, do Nagoya Grampus (ex-Corinthians, Atlético-MG, Inter), com 2:
Leandro Damião, do Kawasaki Frontale (ex-Inter, Flamengo, Santos, Cruzeiro), com 2;
Ramon Lopes, do Vegalta Sendai (só jogou na base no Brasil), com 2; e
Léo Silva, do Kashima Antlers (ex-Portuguesa, Botafogo), com 2.

Outros brasileiros

João Schmidt, do Nagoya Grampus (ex-São Paulo);
Souza, do Cerezo Osaka (ex-Palmeiras, Cruzeiro, Bahia);
Bruno Mendes, do Cerezo Osaka (ex-Guarani, Avaí, Athletico);
Thiago Martins, do Yokohama Marinos (ex-Palmeiras, Bahia);
Jael, do Tokyo (ex-Grêmio, Joinville, Flamengo, Bahia);
Wanderson, do Shimizu Pulse (ex-Athletico);
Lelêu, do Shonan Bellmare (ex-Atlético-MG);
Leandro ‘Banana’ Pereira, do Matsumoto Yamaga (ex-Chapecoense, Sport, Palmeiras); e
Dankler, do Vissel Kobe (ex-Botafogo, Vitória).

Técnico solitário

Só sobrou ele, Oswaldo de Oliveira, do Urawa Red Diamonds (ex-quase todos os clubes brasileiros).

Galeria de troféus

O ex-clube do ‘Galinho de Quintino’ Zico, o Kashima Antlers, é o time com mais títulos: 8. Com 3 títulos temos Jubilo Iwata, Yokohama Marinos e Sanfrecce Hiroshima. O bloco com 2 troféus conta com Tokyo Verdy, Gamba Osaka e Kawasaki Frontale. Urawa Red Diamonds, Nagoya Grampus e Kashiwa Reysol têm seus nomes marcados na história com uma conquista cada. A primeira ‘J League’ foi disputada em 1994.

LEIA MAIS:
MEIA JAPONÊS É REGISTRADO NO BID PELO PALMEIRAS, MAS ESTREIA SÓ DEVE OCORRER EM DEZEMBRO