Juninho Supera deficiência e lidera a Ponte Preta Futebol de Amputados no Paulistão

Juninho Jr., como é conhecido, nasceu com uma má formação congênita em uma das pernas, mas superou a deficiência, o bullying e o preconceito para liderar a equipe da Ponte Preta Futebol de Amputados, conheça a história do Atleta.

Willian Leite Avelino
Colaborador do Torcedores

Crédito: Créditos: Rogério Capela Fotografia

O sonho de muitas crianças é ser jogador de futebol. Elas jogam de bola na rua, em campos de terra, de grama, na quadra, onde tiver uma bola, lá estão elas. Sempre com um objetivo principal: ser jogador de futebol profissional, mas e se você visse todos os seus amigos alimentando esse sonho e você não tivesse essa oportunidade, não porque você não queira, mas sim porque você tem uma deficiência, que o impede de jogar, o que você faria nesse caso?

Essa é apenas uma parte da história de Juninho Jr., atleta e fundador do projeto da Ponte Preta Futebol de Amputados, projeto que promove a inclusão social de pessoas com deficiência através do futebol, na região de Campinas-SP.

Você conhece o canal da Ponte Preta Futebol de Amputados no Youtube? Clique e se inscreva!

Juninho nasceu com uma má formação congênita em uma das pernas, isso fez com que uma delas tivesse uma perna menor do que a outra. Isso faz com que o atleta precise utilizar uma muleta para se locomover no dia a dia, nenhum problema para o atleta, que diz preferir usar uma muleta ao invés de uma prótese.

Na Infância, conta ele, teve que superar diversos problemas, como não poder jogar futebol de igual pra igual com os amigos, “Quando eu jogava, não era a mesma coisa, ninguém vinha me marcar, me deixavam livre, as vezes eu nem sabia o que era pior, se era não jogar, ou jogar e me deixarem livre, me tratando como um coitado“.

Veja como ele conheceu o futebol de Amputados.

Já na fase adulta, Juninho Jr. viu um vídeo de um time da Angola, jogando futebol com as muletas, foi aí que ele conheceu o Futebol de Amputados, com isso ele foi em busca de equipes pra poder praticar o tão sonhado futebol, com pessoas que eram iguais a ele e que finalmente ele poderia jogar de igual pra igual, um sonho. Ele encontrou o projeto do SMEL Mogi, em Mogi das Cruzes-SP, onde ficou por um período, mas as dificuldades não acabaram.

Morador de Cosmópolis-SP, Juninho tinha que percorrer 400km de carro todos os sábados, rotina que se tornou cansativa com o tempo, foi aí que veio a ideia de montar um time na região de Campinas, foram 2 anos com o Cosmocity, nome em alusão a cidade do jogador (Cosmópolis), até que veio a parceria com a Ponte Preta, em 2017. Fruto dessa parceria, nascia a Ponte Preta Futebol de Amputados, primeiro time da modalidade em Campinas-SP.

Veja o vídeo onde Juninho Jr. conta sua história completa, Clique aqui”

Já na primeira competição, a Copa do Brasil 2017, um vice campeonato, vice com gosto de campeão, afinal a equipe foi montada as pressas, com atletas que nunca haviam treinado ou jogado juntos (todos do time), além disso, a equipe ainda teve o atleta revelação e o melhor técnico do campeonato, que sonho.

Hoje Juninho coordena a equipe junto com a comissão técnica, o técnico César Costa, o auxiliar técnico Pedro Rocha e o coordenador Willian Leite.

Atualmente a macaca vem disputando o Campeonato Paulista da modalidade e é um dos destaques da competição. O atleta lidera a equipe, já que é o mais experiente do time “o desafio de ser um dos mais experientes é que tenho que me dedicar mais que os outros, servir de referência, e é legal que os outros atletas se espelham no meu exemplo, isso é muito gratificante”.

Leia mais:

Ponte Preta tem a melhor defesa do Paulistão de Amputados após três rodadas; veja o ranking

Confira a classificação do Paulistão de Futebol de Amputados após a 3ª rodada

Veja a lista de relacionados da Ponte Preta para enfrentar o São Paulo no Futebol de Amputados

Conheça as regras do futebol de amputados