Marlon Moraes pede punição maior a Dillashaw por doping

T.J. Dillashaw está suspenso por dois anos por uso de doping (EPO), em mais um caso de grande repercussão do uso de substâncias proibidas por lutadores do UFC. Mas há aqueles que acreditam que a pena não tenha sido mais pesada, caso de Marlon Moraes.

Victor Martins
Um homem que acredita ser jornalista, escritor e 'chato'. Decidam vocês qual será a opção escolhida Formado na Universidade Metodista de São Paulo. No Torcedores desde 2016 ou algo pareciod.

Crédito: Reprodução/Facebook UFC Brasil

O brasileiro, que enfrentará Henry Cejudo pelo cinturão vago do peso-galo no UFC 238, afirmou que os dois anos que Dillashaw recebeu de suspensão da Agência Antidopagem dos Estados Unidos (USADA) seriam uma pena muito branda.

“Dois anos (de suspensão) não é o bastante. É pouco pelo que ele fez, foi algo bastante sério, na minha opinião”, declarou Moraes ao MMA News.

“Ele trapaceou o tempo inteiro e sei que não foi a primeira vez. Não foi nem a primeira vez que ele fez agora com a USADA testando todo mundo. Antes mesmo da USADA entrar, acredito que ele já usava”, disparou o brasileiro.

Para Marlon, o resultado positivo de doping deve ‘manchar’ a carreira de Dilashaw, considerado um dos principais lutadores do UFC e lançar suspeitas sobre toda a carreira do ex-campeão dos galos.

“Não sabemos agora se ele era tão bom assim. Toda vez que a gente vai treinar, queremos entrar em forma, ter nossas boas condições físicas e ele parece que não estava interessado nisso. Se ele usava agora, ele já usava antes. E depois ele vai e diz que abriu mão do cinturão. Para mim, acho que foi um truque, mas a verdade é que ele está suspenso. Não posso julgá-lo, mas agora ele vai pagar pelo que ele fez”, disse.

LEIA MAIS

Dana White afirma que não desistiu de ser promotor de boxe

(Crédito da foto: Reprodução/Facebook UFC Brasil)