Narrador chama de “patética” a entrevista de dirigente do Inter com críticas a Vuaden e Renato

Na avaliação do narrador Pedro Ernesto Denardin, principal locutor da Rádio Gaúcha, o vice-presidente de futebol colorado Roberto Melo errou ao fazer acintosas reclamações após o Gre-Nal deste domingo e concedeu uma entrevista “patética”. Foi dessa forma que o jornalista encarou a manifestação do dirigente e não viu motivos para tamanha insatisfação com o árbitro Leandro Vuaden.

Eduardo Caspary
Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Dupla Gre-Nal.

Crédito: Foto: Reprodução/Twitter

Melo criticou Vuaden por não ter dado vermelho ao centroavante gremista André após lance usando o cotovelo em Rodrigo Moledo – o juiz manteve o amarelo mesmo depois de consultar o VAR. O dirigente também condenou a postura do técnico rival Renato Gaúcho, que, segundo ele, “faz o que quer na beira do campo e a arbitragem morre de medo”.

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

“Tivemos um Gre-Nal normal no Beira-Rio, com poucas faltas e ausência de lances desleais. Com muita virilidade, mas sem nenhuma maldade. As questões discutíveis ficaram fora de campo (…) segundo Diori Vasconcelos (comentarista de arbitragem da Gaúcha), tivemos 20 faltas no jogo. A média normalmente é de 30 a 35. O vice-presidente de futebol colorado disse que o juiz trancou o jogo marcando faltas repetidas. Não é verdade”, escreveu Denardin em sua coluna.

A fala de Melo, considerada “patética” pelo comunicador, foi a seguinte:

“Não precisa trazer mais quarto árbitro, quinto árbitro, deixa que o Renato faz o que ele quiser, então, porque ele invade o vestiário, invade o jogo. Eu acho absurda a posição do técnico do Grêmio, é um ídolo da sua equipe, vitorioso, mas isso é uma vergonha. A arbitragem parece que tem medo”, disparou. “A arbitragem de hoje foi muito ruim, o jogo ficou muito picotado. Não sei porque existe esse VAR, porque ele vai até aquela casinha lá, no lance da cotovelada que teria que ser expulsão. Hoje claramente teve um lance de agressão, lance que o jogador dá uma cotovelada”.