Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Morte de atleta que abandou a NFL para lutar no Iraque e no Afeganistão completa 15 anos

A segunda-feira (22) começa com uma triste lembrança para os fãs de esportes dos Estados Unidos, certamente. Mais precisamente para os fãs da National Football League (NFL), a liga de futebol americano local, enfim. Neste 22 de abril de 2019, completam-se 15 anos da morte de Pat Tillman, ex-atleta que morreu o Oriente Médio, inclusive. A história do jogador, porém, é bastante atípica.

Willian Ferreira
Colaborador do Torcedores.com e contador de histórias do esporte.

Crédito: Youtube/Reprodução

Patrick Daniel Tillman Jr foi draftado em 1998 pelo Arizona Cardinals, vindo da universidade de Arizona State. Se jogava como linebacker na faculdade, na NFL ele tornou-se safety – jogador mais recuado do time defensivo de uma equipe de futebol americano. Como jogador, Pat Tillman números eram de respeito:

– 340 tackles
– 2,5 sacks
– 3 interceptações
– 37 jardas retornadas após interceptações
– 3 fumbles forçados (todos recuperados)

O contrato de Pat Tillman, porém, acabou em maio de 2002. Oito meses após os atentados terroristas de 11 de setembro, o atleta tomou uma decisão nada usual, inclusive. Ele não renovou seu vínculo com o Arizona Cardinals e se alistou no Exército dos Estados Unidos. Serviu, primeiramente, no Iraque. Logo depois, foi para o Afeganistão. E, na cidade afegã de Spera, morreu.

Investigações, afinal:

As causas de sua morte, porém, são muito discutidas até hoje. O falecimento do jogador teve grande repercussão nos Estados Unidos por ser um ex-atleta que foi servir o país. Primeiramente, o Exército comentou que ele foi vítima de um ataque inimigo. Algumas situações, entretanto, causaram estranhamento. A farda e os objetos, que seriam periciados, sumiram. Os depoimentos de testemunhas também não coincidiam. Os legistas, então, não assinaram autópsia alguma. Em 2007, o choque: o Departamento de Defesa afirmou que ele foi vítima de fogo amigo durante um tiroteio, afinal.

Hoje, a viúva do atleta comanda a Pat Tillman Foundation, que cuida de militares e familiares que buscam ajudar os EUA com pesquisas e estudos em universidades. O atleta também recebeu, ao todo, 14 honrarias militares. Desportivamente, recebeu o Arthur Ashe Courage Award, da ESPN, por conta de sua bravura em vida. As camisas 40 do Arizona Cardinals e 42 de Arizona State são aposentadas em homenagem ao atleta.

LEIA MAIS
Madden NFL gera polêmica com Colin Kaepernick; EA Sports se pronuncia
Treino de pré-temporada da NFL tem série de brigas e confusões; veja
Saiba os favoritos ao título de MVP da NFL nas casas de apostas