Brasil continua com força máxima no Corona Bali Protected 2019

Pela primeira vez na temporada 2019 do World Surf League Championship Tour, a “seleção brasileira” chega com força máxima na terceira fase, sem nenhuma baixa.

Aline Simon
Colaborador do Torcedores

Crédito: Jessé Mendes (SP) (Matt Dunbar / WSL via Getty Images)

Os quatro que ficaram em último nas suas estreias na Indonésia, aproveitaram a segunda chance de classificação nas primeiras baterias eliminatórias do Corona Bali Protected. A mais festejada foi da cearense Silvana Lima, que não competia desde setembro de 2018 para operar os dois joelhos e só agora está retornando, na terceira etapa do ano. O catarinense Willian Cardoso e os paulistas Jessé Mendes e Deivid Silva, também passaram pela repescagem na terça-feira de ondas de 3-4 pés em Keramas.

“Eu estava bem nervosa, porque não seria nada bom ficar em último lugar neste meu retorno às competições”, disse Silvana Lima. “Estou me sentindo muito bem agora, depois de conseguir vencer minha primeira bateria após tanto tempo. Ficar de fora por quase uma temporada inteira foi difícil, mas realmente me sinto abençoada por voltar a fazer esse trabalho que eu adoro, de surfar com as melhores surfistas do mundo. É muito bom estar de volta”.

Silvana Lima (CE) (Cait Miers / WSL via Getty Images)

Na avaliação dos juízes, Silvana Lima foi quem apresentou o melhor surfe nas direitas de Keramas, nas duas baterias da segunda fase feminina que rolaram na terça-feira em Bali. A cearense começou muito bem, atacando forte todos os pontos mais críticos da sua primeira onda com batidas e rasgadas, que valeram a maior nota do dia entre as meninas, 7,00.

Time Completo

Na terça-feira, o dia foi marcado por várias chamadas sendo realizadas até o início da tarde, quando a maré, os ventos e o swell (ondulação), se alinharam em Keramas para rolar as primeiras baterias eliminatórias na Indonésia. Silvana Lima foi a única que venceu sua bateria, mas os outros três brasileiros passaram em segundo lugar nas deles. Todas foram bem disputadas, com pequenas vantagens para os últimos colocados.

Um dos estreantes na “seleção brasileira” do CT este ano, Deivid Silva, se classificou graças a nota 5,50 da sua última onda surfada na primeira eliminatória do ano em Keramas. Com ela, o paulista do Guarujá despachou o australiano Jacob Willcox por 10,67 a 10,10 no confronto vencido pelo japonês Kanoa Igarashi, por 14,60 pontos.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!

A segunda foi mais acirrada ainda e os três ficaram na casa dos 10 pontos. O catarinense Willian Cardoso também precisou arriscar tudo na última onda e confirmou sua classificação com a nota 5,93 recebida. Ele totalizou 10,66 pontos, contra 10,90 do italiano Leonardo Fioravanti e 10,07 do havaiano Ezekiel Lau, eliminado na 33.a e última posição em Bali.

O paulista Jessé Mendes confirmou o Brasil com o time completo na terceira fase, mas foi por menos ainda, 3 centésimos de vantagem sobre o havaiano Sebastian Zietz, 8,43 a 8,40 pontos. A vitória foi do australiano Ryan Callinan por 10,50 nas duas ondas computadas. Jessé fechou a repescagem e será assim também na próxima rodada, disputando a última vaga para as oitavas de final do Corona Bali Protected com o sul-africano Jordy Smith.

Duelos brasileiros

A terceira fase será iniciada e encerrada com o Brasil disputando classificação para as oitavas de final. No começo, são três confrontos diretos com a Austrália. O potiguar Jadson André luta pela primeira vaga com Julian Wilson, antes do duelo brasileiro na segunda bateria. O paulista Deivid Silva está na quarta com Wade Carmichael e na quinta, o potiguar Italo Ferreira faz a sua segunda defesa do título de campeão do Corona Bali Protected, contra Jack Freestone.

Após as batalhas entre Brasil e Austrália nas direitas de Keramas, na sexta bateria o catarinense Willian Cardoso enfrenta o francês Jeremy Flores. Na nona, acontece o segundo confronto verde-amarelo, do Filipe com o Caio. Na 13.a, o bicampeão mundial Gabriel Medina enfrenta o italiano Leonardo Fioravanti e os outros dois brasileiros vão disputar as últimas vagas para as oitavas de final, o paranaense Peterson Crisanto na 15.a bateria com o japonês Kanoa Igarashi e Jessé Mendes fechando a terceira fase com o sul-africano Jordy Smith.

Próximas Baterias do Corona Bali Protected:

TERCEIRA FASE

1.a: Julian Wilson (AUS) x Jadson André (BRA)

2.a: Yago Dora (BRA) x Michael Rodrigues (BRA)

3.a: John John Florence (HAV) x Joan Duru (FRA)

4.a: Wade Carmichael (AUS) x Deivid Silva (BRA)

5.a: Italo Ferreira (BRA) x Jack Freestone (AUS)

6.a: Willian Cardoso (BRA) x Jeremy Flores (FRA)

7.a: Conner Coffin (EUA) x Griffin Colapinto (EUA)

8.a: Kolohe Andino (EUA) x Ricardo Christie (NZL)

9.a: Filipe Toledo (BRA) x Caio Ibelli (BRA)

10: Seth Moniz (HAV) x Ryan Callinan (AUS)

11: Owen Wright (AUS) x Kelly Slater (EUA)

12: Michel Bourez (TAH) x Rio Waida (IDN)

13: Gabriel Medina (BRA) x Leonardo Fioravanti (ITA)

14: Mikey Wright (AUS) x Adrian Buchan (AUS)

15: Kanoa Igarashi (JPN) x Peterson Crisanto (BRA)

16: Jordy Smith (AFR) x Jessé Mendes (BRA)

OITAVAS DE FINAL – Derrota=9.o lugar com 2.610 pontos e US$ 14.100:

1.a: Carissa Moore (HAV) x Paige Hareb (NZL)

2.a: Johanne Defay (FRA) x Brisa Hennessy (CRI)

3.a: Caroline Marks (EUA) x Silvana Lima (BRA)

4.a: Sally Fitzgibbons (AUS) x Coco Ho (HAV)

5.a: Stephanie Gilmore (AUS) x Keely Andrew (AUS)

6.a: Malia Manuel (HAV) x Courtney Conlogue (EUA)

7.a: Lakey Peterson (EUA) x Bronte Macaulay (AUS)

8.a: Tatiana Weston-Webb (BRA) x Nikki Van Dijk (AUS)

Leia mais: Lucas Silveira supera Gabriel Medina e vence o Krui Pro 3000 na Indonésia

O surfe feminino brasileiro precisa de ajuda