“Congelei esperma suficiente para ter uma equipe de futebol”, diz Ronaldo Fenômeno

Um dos maiores jogadores da história do futebol brasileiro, Ronaldo Fenômeno, agora aposentado, curte a carreira como em empresário e dono do Valladolid, clube espanhol que garantiu a permanência na primeira divisão do Campeonato Espanhol no último final de semana. Em entrevista publicada pelo jornal inglês Financial Times, o ex-atacante falou sobre negócios e sua vida pessoal, revelando, inclusive, algo um tanto quanto curioso.

Danielle Barbosa
Colaborador do Torcedores

Crédito: Dennis Grombkowski/Getty Images

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Ronaldo, que já é pai de quatro filhos (Ronald, Alexander, Maria Alice e Maria Sofia), revelou que fez vasectomia, que é um procedimento médico de esterilização para homens, mas apesar disso, garantiu que se quiser ter mais herdeiros, isso não será nenhum obstáculo. “Congelei esperma suficiente para ter uma equipe de futebol se a minha mulher quiser”, disse Ronaldo.

O ex-atacante ainda causou polêmica ao falar sobre as críticas que recebia por estar acima do peso quando ainda era jogador. “Existem mobilizações para muitas coisas. Se você é negro, se é gay… Não me lembro de ninguém que me defendia quando me chamavam de gordo. Não me importo”, garantiu.

Veja outros trechos da entrevista:

FAMA DE ‘FESTEIRO’:

Minha prioridade sempre foi o futebol, então, não me arrependo do que fiz. Os jogadores de futebol são jovens. Eles querem sair, namorar. Coisas normais para os jovens, especialmente quando você tem dinheiro.

FINAL DA COPA DE 1998:

Não foi o meu melhor jogo naquele dia, mas lutei e corri. Tem dias em que não se sente bem. Em outros, é o oposto. Difícil de explicar. Vejam Messi no Barcelona e Messi na Argentina. É um jogador completamente diferente. Não é fácil jogar um grande torneio pela sua seleção. Ali jogam os melhores do mundo.

LEIA MAIS:
Kajuru diz que convulsão de Ronaldo na Copa de 98 foi por erro de médico da seleção