Justiça determina que CBF decida o destino da Taça das Bolinhas

O Campeonato Brasileiro de 2019 já tem bola rolando, no entanto o de 1987 ainda não terminou. A juíza Cristina de Araújo Goes Lajchter, da 50ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ), determinou nessa terça-feira que a Taça das Bolinhas, em posse da Caixa Econômica Federal desde 2017, seja devolvida à CBF e a entidade decida seu destino.

Matheus Leal
Colaborador do Torcedores

Crédito: Reprodução

Após trânsito em julgado do recurso do Flamengo, em março, onde a maioria dos ministros do Superior Tribunal Federal (STF), deu vitória ao Sport. Assim, uma resolução da polêmica Taça das Bolinhas chega ao fim. Como o rubro-negro perdeu, é provável que o São Paulo receba o troféu simbólico caso não haja mais nenhum desdobramento.

A Taça das Bolinhas foi criada em 1975 e ficaria com a equipe que conquistasse o tri do Campeonato Brasileiro primeiro. Porém, devido à confusão sobre a Copa União de 1987, o troféu simbólico ainda não conhece seu dono.

“Considerando que houve a perda de eficácia da liminar concedida por este Juízo, diante da improcedência do pedido, DETERMINO que seja expedido mandado de intimação para a Caixa Econômica Federal para ciência da perda de eficácia da medida cautelar, sendo certo que caberá a CBF a adoção das medidas cabíveis acerca do destino da mencionada taça”, diz a decisão da juíza.

LEIA MAIS

Aproveitamento, ataque, defesa… veja os melhores times da série A em 2019