Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Técnico do Náutico comemora 1º triunfo na Série C e enaltece grupo de jogadores

Para acalmar os bastidores, o Náutico do técnico Márcio Goiano conquistou um importante resultado no último sábado (4), ao bater o Imperatriz pelo placar de 4 a 2, em confronto da 2ª rodada da Série C. Mesmo com a proposta de poupar boa parte de seus titulares para o embate decisivo na Copa do Nordeste, o time alvirrubro fez valer a força do mando de campo e se impôs sobre o adversário maranhense, postura esta que agradou e muito o comandante do Timba.

Cido Vieira
Jornalista formado e apaixonado por futebol desde criança. No Torcedores.com desde o ano de 2017, já acumulei diversas funções no site e atualmente me dedico a cobertura do futebol nordestino. No Twitter, @cidovieira90.

Crédito: Léo Lemos - Divulgação - Náutico

”Estreamos fora de casa e, infelizmente, fomos derrotados, mas nós temos que ter o poder do controle da mente. Acima de tudo, temos que continuar o trabalho e fazer com que os jogadores acreditem no potencial individual de cada um. Nós sabíamos que tínhamos 17 decisões pela frente. Agora são 16. Dentro de uma realidade de Série C, está tudo controlado, dentro do normal. Temos o próximo jogo em casa novamente e – foi algo que eu falei com os atletas – todos os jogos tem que ter a intensidade do nosso primeiro tempo. Nossa intensidade foi muito boa, contou Márcio.

Na concepção de Márcio Goiano, o desgaste da equipe em virtude da pouca rodagem acabou sendo preponderante para a diminuição de volume de jogo do Náutico na segunda etapa, o que acabou possibilitando no oferecimento de chances para o oponente maranhense.

“Tínhamos alguns atletas em campo que não vinham jogando. Esse ritmo faz a diferença, especialmente, na questão de sentir o final das partidas e alguns jogadores realmente sentiram. Mas, quando a gente impõe um ritmo de jogo, abre o placar e dá ao adversário oportunidade, você facilita para o adversário. Nosso maior exemplo é o jogo anterior, estávamos vencendo e com dois minutos deixamos o Campinense entrar no jogo. Não podemos deixar. Não podemos deixar que o adversário acredite que pode vencer a gente com a vantagem confortável que nós estávamos.” – finalizou o técnico alvirrubro.

LEIA MAIS: