Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Palmeiras x Inter: veja 3 lições que o Colorado tem que tirar da derrota para o Verdão no Allianz Parque

Palmeiras x Inter foi um dos jogos da terceira rodada do Campeonato Brasileiro, decerto. A partida aconteceu neste sábado (04), no Allianz Parque, enfim. A peleja acabou com vitória do Verdão: 1×0, gol de Deyverson, certamente. A derrota, obviamente, colocou em questão algumas perguntas em relação ao time e, também às escolhas da comissão técnica, afinal. E o clube deverá tirar lições para o restante do ano, enfim. Confira 3 lições que o Inter tirou do cotejo ante o clube palestrino.

Willian Ferreira
Colaborador do Torcedores.com e contador de histórias do esporte.

Crédito: Ricardo Duarte/SC Internacional

Tais reflexões devem passar, basicamente, por questões de treinamento e, também, de estilos distintos de atletas, enfim. Dito isto, confira as 3 lições que o Colorado deve tirar de Palmeiras x Inter:

Bolas aéreas defensivas

A torcida colorada confia, com razão, em Rodrigo Moledo e Victor Cuesta. A competente dupla de zaga, porém, pouco fez para conter os cruzamentos da equipe do Palmeiras. Sobretudo no primeiro tempo, o Internacional perdeu boa parte das jogadas aéreas.

Finalizar mais (não só em Palmeiras x Inter)

Em determinado momento de Palmeiras x Inter, o Colorado chegou a ter 69% de posse de bola, enfim. No final do cotejo, o número seguiu alto, afinal: 67%. Apesar do índice, entretanto, o Internacional pouco finalizou. Weverton fez apenas uma defesa de algum perigo, aliás. Faltou arriscar – seja alçando bolas na área, seja arriscando de longe, portanto. E isso leva à terceira lição, enfim.

Estilos de centroavantes

Paolo Guerrero, de muita qualidade técnica, não é um centroavante que tem como principal característica a finalização. O peruano ajuda a recompor e sai da área para ajudar os companheiros de ataque, também. Se precisava de um finalizador, Odair Hellmann tinha outras opções. No banco, Guilherme Parede (que entrou na peleja), tem essa característica muito mais nítida. Em má fase, Jonatan Álvez e Santiago Tréllez (que não estiveram no banco) também possuem executam tal qualidade com mais perícia.

LEIA MAIS
Mercado da Bola: Marquinhos Gabriel interessa ao Grêmio
No Twitter, torcedores do Inter comemoram renovação de contrato de Odair Hellmann
Eleição do Internacional têm mais eleitores que mais de 5 mil cidades brasileiras