Trio reforça o Fluminense na Sul-Americana; seis jogadores retornam ao RJ

O Fluminense vira a chave após a derrota para o Bahia, ontem, por 3×2, pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro, e centra suas atenções para a Copa Sul-Americana. No meio de semana, o Tricolor vai até a Colômbia para decidir sua vida no torneio internacional acumulando uma boa vantagem sobre o Atlético Nacional. Para o duelo, a equipe terá novidades entre os relacionados.

Bruno Nunes Loreto
Formado em Jornalismo na Universidade de Santa Cruz do Sul, UNISC. Amante dos esportes, principalmente o bom e velho futebol. Setorista de Grêmio e Fluminense.

Crédito: Luciano é uma das novidades na delegação ( Lucas Merçon/Fluminense FC)

Em Salvador, a delegação do Fluminense viaja para o duelo em Medellín na noite desta segunda-feira, 27. Para escalar a equipe na Colômbia, o técnico Fernando Diniz ganhou três novas opções. O volante Allan e o atacante Luciano retornam após cumprirem suspensão no Brasileirão.

A outra novidade fica por conta de Airton. O volante está recuperado de uma lesão muscular e novamente à disposição do comandante. Ele não atua desde a grande virada sobre o Grêmio, por 5×4, em Porto Alegre.

Por outro lado, seis jogadores voltam ao Rio de Janeiro após comporem o grupo frente ao Bahia. Pedro, Léo Artur, Ewandro, Kelvin e Yuri não estão inscritos na Sul-Americana. Já o jovem Marcos Paulo, que vem ganhando oportunidades, deve se apresentar à seleção de Portugal para a disputa de um torneio de base na França.

Na partida de ida da segunda fase, o Fluminense não tomou conhecimento do Atlético Nacional. Com uma grande atuação de João Pedro, o Tricolor goleou por 4×1, no Maracanã. Com a ampla vantagem no placar agregado, o Flu poderá perder por até dois gols de diferença para se classificar.

Quem chega e quem sai dos clubes?

 

“A gente vai jogar com um time muito qualificado, fizemos um bom jogo no Maracanã, temos que todas todos os cuidados. Vamos entrar com força máxima para fazer um bom jogo”, disse o técnico Fernando Diniz, em entrevista coletiva.

LEIA MAIS:

FERNANDO DINIZ RECLAMA DO VAR E DA ARBITRAGEM: “NÃO SE PODE FALAR NADA”