Comissários da F1 mantém vitória para Verstappen na Áustria

De acordo com os comissários, lance entre holandês da Red Bull e Charles Leclerc, da Ferrari, foi um incidente de corrida

Leonardo Marson
Jornalista com passagens pelas revistas Racing e House Mag.

Crédito: F1

Os comissários desportivos da Fórmula 1 decidiram não punir Max Verstappen pela manobra em que superou Charles Leclerc para tomar a primeira colocação e vencer o Grande Prêmio da Áustria, nona etapa da temporada 2019, disputada neste domingo (30) no Red Bull Ring. O holandês da Red Bull era investigado por não ter deixado espaço para o piloto da Red Bull na ultrapassagem ocorrida na 69ª volta da prova.

A decisão dos comissários, liderados pelo ex-piloto dinamarquês Tom Kristensen, saiu às 19h46, pelo horário de Spielberg, 14h46 pelo horário de Brasília, pouco mais de três horas após o encerramento da corrida. Os responsáveis ouviram Verstappen e Leclerc, além de analisar vídeos e a telemetria, e definiram que o holandês não infringiu o regulamento, classificando o lance como “incidente de corrida”.

Desta forma, Verstappen confirma sua primeira vitória na atual temporada da Fórmula 1 e assume o terceiro lugar do campeonato, já que superou em três pontos Sebastian Vettel na tabela de classificação. Leclerc, por sua vez, terá de seguir em busca de sua primeira vitória na principal categoria do automobilismo mundial, após ficar a três voltas de sair com a vitória na Áustria.

Confira a nota emitida pela FIA:

Os comissários revisaram evidências de vídeo, depoimento do piloto do carro 33 (Max Verstappen), do piloto do carro 16 (Charles Leclerc) e representantes do time e determinaram o seguinte. O carro número 33 buscou ultrapassar o carro 16 na curva 3 na volta 69 ao ganhar a freada do carro 16. Quando fez isso, o carro 33 ficou ao lado do carro 16 na entrada da curva e estava em controle total do carro enquanto tentava fazer a manobra de ultrapassagem por dentro do carro 16. No entanto, tanto o carro 33 como o 16 procederam em negociar a curva ao lado do outro, mas, claramente havia espaço insuficiente para ambos os carros fazerem isso. Logo depois do ápice, na saída da curva, houve um contato entre os dois carros. Na totalidade das circunstâncias, não consideramos que nenhum piloto foi integralmente ou predominantemente culpado pelo incidente. Consideramos isso um incidente de corrida.