Conheça Ada Hegerberg, atacante norueguesa de destaque no futebol feminino

A atleta conquistou mais uma Uefa Woman’s Champions League pela equipe francesa após final contra o Barcelona

Tarique
Graduado em Administração na UFRRJ, Apaixonado por Futebol, Flamenguista por Opção, Geek por Natureza, Carioca de Nascimento, Amante de Livros, Misterioso, Cinéfilo, Curte Contar/Apreciar Boas Histórias e Experiências de Vida; Sempre em Busca de Novos Objetivos.

Crédito: David Ramos / Staff

A atacante de 23 anos, atual detentora do título de melhor atleta do futebol feminino, segue se destacando na modalidade, mas deixou a Seleção Norueguesa para protestar por melhores condições para as atletas praticarem futebol em seu país.

Nascida em 10 de julho de 1995, na cidade de Molde (Noruega), a atleta Ada Martine Stolsmo Hegerberg começou sua carreira no Kolbotn em 2010 e acumulou 30 partidas . Já em 2012, atuou pelo Stabaek e atingiu a impressionante marca de 24 gols em 18 jogos, tendo a média de mais de 1 gol por partida.

Em 2013, defendeu as alemãs do Turbine Potsdam e em 25 atuações, conseguiu balançar as redes por 11 oportunidades. Foi contratada pelas francesas do Lyon em 2014 e já acumula 59 gols em 43 partidas.

A atacante conseguiu temporada vitoriosa, ao conquistar os campeonatos da França e também a Uefa Woman’s Champions League (sendo artilheira desta, com 15 gols, e recordista de gols na mesma temporada), na edição 2017/2018. Na atual temporada, acabou de conquistar novamente a mais importante competição europeia de clubes com suas colegas de equipe. Ao derrotar a equipe espanhola do Barcelona, Hegerberg e sua companheiras de equipe conquistaram o título europeu por mais uma vez. A atacante, porém, abdicou de sua Seleção desde o final da Eurocopa, disputada em 2017.

 A Noruega possui títulos da Eurocopa (1987 e 1993), Copa do Mundo (1995) e Olimpíadas (2000), mas nem isso parece animar a atleta. Ela alega (em entrevista para o Guardian) que o futebol é a maior modalidade para as meninas norueguesas, mas as garotas não têm as mesmas oportunidades que os meninos.

A Copa do Mundo Feminina está sendo disputada no solo onde Hegerberg atua com sua colegas de equipe do Lyon. Mas a atleta segue firme em sua decisão, até que os dirigentes do futebol feminino norueguês possam mudar sua postura e melhorar as condições de futebol para as mulheres. Hegerberg conta com 50 partidas pela Seleção e 28 gols marcados.

A atual vencedora do prêmio da France Football, que coroa os melhores futebolistas da temporada, ao lado do croata Luka Modric, passou por maus bocados ao receber seu prêmio. Quando indagada pelo DJ francês Martin Solveig, apresentador da cerimonia, se ela sabia dançar “twerk”, ela respondeu negativamente e se retirou do palco apenas. Famosos saíram em defesa da atleta, tratando esse episódio como ultraje e como sexista, na visão deles.

O DJ se retratou com a atleta, que afirmou não ter se chateado, pois não interpretou dessa forma e havia ganhado a Bola de Ouro. Todavia, este episódio não é o primeiro embate da carreira da jogadora, que segue travando batalha contra a federação de futebol feminino de seu país.

LEIA MAIS:

Lyon x Barcelona: veja onde assistir à final da Champions League feminina AO VIVO na TV

Craque do Lyon e atual ‘Bola de Ouro’, Ada Hegerberg se recusa a jogar Copa do Mundo pela Noruega