Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Após críticas de Petraglia, conselheiros do Palmeiras pedem a retirada de “jaula” dos visitantes no Allianz Parque

O grupo enviou uma carta ao presidente Maurício Galiotte pedindo a retirada da rede de proteção dos torcedores adversários no estádio alviverde

Rafael Brayan
Estudante de jornalismo. Colaborador especialista e editor-plantonista do Torcedores.Twitter: @rafaelbrayan_

Crédito: Divulgação/Facebook Allianz Parque

Nesta quinta-feira (27), um grupo de conselheiros do Palmeiras criticaram a utilização de uma rede de proteção na área de visitantes no Allianz Parque. Os representantes pediram a remoção da “jaula” ao presidente Mauricio Galiotte em carta, divulgada pela ESPN.

A presença da rede foi muito criticada após a partida do clube alviverde contra o Athletico Paranaense pelo Campeonato Brasileiro. O presidente do Conselho Deliberativo do time rival, Mário Celso Petraglia, utilizou as suas redes sociais para criticar os paulistas.

“Por essa situação ridícula, uma jaula confinando torcedores, que somos favoráveis à torcida humana! Sem espaço exclusivo para os visitantes! A CBF e a Conmebol já deviam ter acatado a condição de torcida só do mandante!”, disse Petraglia.

“A torcida adversária ocupou seu lugar, mas o que ganhou destaque na mídia foi o desconforto causado por uma rede de proteção que dificultava a visão do campo de jogo. Trata-se realmente de uma falha que deve ser corrigida, e as imagens divulgadas demonstram isso. Seria importante que o Palmeiras buscasse soluções alternativas que não causassem problemas futuramente”, escreveram o grupo de conselheiros em nota.

O Palmeiras afirma que a rede é uma obrigação que a Polícia Militar pede à organização do Allianz Parque. Por outro lado, Galiotte prometeu encontrar uma saída, de acordo com o grupo de conselheiros.

Confira a carta dos conselheiros na íntegra:

Excelentíssimo presidente Mauricio Galiotte,

Na condição de conselheiros da Sociedade Esportiva Palmeiras e representantes da torcida que canta e vibra, destacamos: o Palmeiras cumpriu aquilo que dele se esperava e destinou à torcida do Clube Athlético Paranaense, em jogo válido pelo Campeonato Brasileiro de 2019, a deferência que, à exceção de questionáveis disposições legais em contrário, é devida à torcida de qualquer clube que venha jogar no Allianz Parque: cota de ingressos condizente com a legislação, espaço reservado e delimitado dentro do estádio e acesso exclusivo.

A torcida adversária ocupou seu lugar, mas o que ganhou destaque na mídia foi o desconforto causado por uma rede de proteção que dificultava a visão do campo de jogo. Trata-se realmente de uma falha que deve ser corrigida, e as imagens divulgadas demonstram isso. Seria importante que o Palmeiras buscasse soluções alternativas que não causassem problemas futuramente.

Esse equívoco, porém, não pode e nem deve ser utilizado como justificativa para se validar a proibição de acesso à torcida adversária no estádio do rival deste jogo, sob um falacioso projeto intitulado “Torcida Humana”.

O que o principal dirigente do Athlético Paranaense, Mario Celso Petraglia, faz de fato é isso: impede que torcedores rivais possam ter um local reservado e, ainda pior, proíbe que usem vestimentas que façam alusão a agremiação para a qual torcem. Em quais países reconhecidamente civilizados algo assim seria tolerado?

Tem sido assim há quase um ano, e a penúltima torcida brasileira a efetivamente ter respeitado o seu direito de torcer e comparecer em peso à Arena da Baixada foi logo a do Palmeiras, em 06/05/2018.

Naquela ocasião, 4.602 palmeirenses adquiriram ingressos para o setor visitante. Um mês depois, já não se permitia mais a presença de torcedores de outros times que não o Clube Athlético Paranaense na Arena da Baixada.

Em virtude da prática já estabelecida pela equipe paranaense, solicitamos que o excelentíssimo presidente da Sociedade Esportiva Palmeiras, na defesa dos interesses de seus torcedores:

▪ Tome as necessárias providências para corrigir os problemas de visibilidade no setor visitante do Allianz Parque;

▪ Informe ao Clube Athlético Paranaense sobre as medidas a serem tomadas, manifestando seu compromisso em prover um bom tratamento à torcida daquela agremiação em confrontos futuros;

▪ Atue para assegurar que a torcida palmeirense tenha espaço reservado, de acesso exclusivo e sem a proibição de uso de vestimentas no estádio Arena da Baixada, no confronto a se realizar pela 27° rodada deste Campeonato Brasileiro, conforme determina o Regulamento Geral das Competições 2019 da CBF, em seu artigo 86;

▪ Atue para assegurar que os preços a serem praticados pelo Athlético Paranaense sejam equivalentes ao cobrados da torcida local, conforme disposto no artigo 85, parágrafo 4 deste mesmo regulamento.

No interesse do torcedor palmeirense em todo o país, solicitamos que tal ação (e outras que V. Sa. entendam necessárias) seja executada com a máxima urgência, para que, em caso de não concordância, exista tempo hábil para que sejam tomadas as medidas administrativas e judiciais eventualmente cabíveis.

Renovando nossos protestos de estima e consideração, reafirmamos nossos melhores votos.

Avanti Palmeiras!

Leia mais:

Semana de concentração: veja como os jogadores do Palmeiras passam o tempo livre na Academia de Futebol

Mauro Cezar critica rede no setor da torcida visitante do Allianz Parque e pede “providência” do Palmeiras