Dos 17 clubes, nove são excluídos pela Federação da Série A2 do Campeonato Pernambucano, que começa em julho

Por falta de laudos, Federação anuncia que apenas oito times estão liberados para disputar a competição (veja a lista); um dos excluídos é o Serrano-PE, que anunciou o reforço de Flávio Caça-Rato para tentar o acesso à elite

Adriano Oliveira
Colaborador do Torcedores

Crédito: Reprodução/ Site oficial FPF

A Federação Pernambucana de Futebol apresentou na tarde de terça (18) a relação dos clubes participantes da segunda divisão do campeonato estadual deste ano, que começa no dia 28 de julho. Por falta de documentação exigida, nove equipes foram excluídas da competição.

São eles: Cabense, Barreiros, Ferroviário, Pesqueira, Serrano-PE, Atlético-PE, Sete de Setembro, Ypiranga e Timbaúba.

Os dirigentes do Serrano-PE ficaram surpresos com a decisão e prometem recorrer. O Jumento de Aço foi um dos times que mais investiu para a disputa do torneio e um dia antes anunciou a contratação do atacante Flávio Caça-Rato, de 32 anos, ex-Santa Cruz.

Fomos pegos de surpresa. Estamos esperando o presidente chegar de viagem e vamos ver quais as decisões podem ser tomadas. Se percebermos a possibilidade de entrar com recurso para voltar à competição, iremos buscar”, declarou Edy Lima, diretor de futebol do clube pernambucano, em entrevista ao site “SuperEsportes.com.br”. E completou:

“A exclusão é ainda mais assustadora devido ao investimento que foi feito, porque investimos muito para o campeonato e uma retirada dessas vai nos prejudicar demais”.

Em seu site oficial, a Federação listou os oito times que estão aptos a disputar o acesso à elite do futebol pernambucano:

Atlético do Porto, 1º de Maio, Centro Limoeirense, Íbis, Ipojuca, Retrô FC Brasil, Decisão e Vera Cruz.

Lista da Série A2 do Campeonato Pernambucano de 2019 divulgada pela Federação

Reprodução/ Site oficial FPF

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique aqui e inscreva-se!

A FPF exige dos clubes laudos de segurança de engenharia e do Corpo de Bombeiros e Polícia Militar. Ao “SuperEsportes”, o diretor de competições da entidade disse que o caso do Serrano-PE é “ainda mais grave” porque o time não possui um representante estatutário.

“O Serrano não possuía laudo nenhum em Serra Talhada. Eles iam jogar em Afogados, mas o maior problema lá é que eles não possuem ata de presidente. A documentação não está apta para a disputa. O último prazo para a entrega da documentação foi expirado (na segunda, 17) e, além disso, eles não possuem nenhum representante estatutário”, explicou ao site o diretor Murilo Falcão.

A Federação convocou os oito clubes liberados para uma reunião na quinta (20), onde serão discutidos detalhes referentes ao Pernambucano da Série A2 de 2019.

LEIA MAIS

Núcleo feminino de torcida organizada do CSA é suspenso depois de tirar foto com torcedoras do CRB

Recoba, ex-Inter de Milão, diz à site que recebeu propostas de dois clubes brasileiros e explica por que não aceitou