Ex-advogado de Najila e Mauro Naves foram sócios em restaurantes que Neymar frequenta, dizem funcionários

Suposta proximidade entre Zé Edgard, Neymar Jr. e Mauro Naves torna controverso o argumento para afastamento do repórter da Globo

Daniel Servidio
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo. 22 anos. Acredita que o mundo é feito de histórias.

Crédito: Reprodução

Na última quarta-feira (05), o jornalista Mauro Naves, do Grupo Globo, foi afastado da cobertura da seleção brasileira por, segundo nota lida ao vivo no Jornal Nacional, ter fornecido o contato do pai de Neymar ao advogado José Edgard Bueno, que, até então, representava Najila Trindade no caso do suposto estupro cometido pelo jogador. No entanto, o caminho para a obtenção do contato poderia ter sido mais fácil. Naves, segundo funcionários, é sócio de uma unidade e frequenta o restaurante Paris 6. Zé Edgard, como é conhecido, foi mais um dos sócios e CEO, também de acordo com funcionários, da rede de restaurantes que tem em Neymar Jr. um dos principais clientes. A suposta proximidade entre os três faz com que o argumento usado para o afastamento do repórter seja questionável.

O grau de participação de Mauro Naves no caso Neymar ainda não foi esclarecido. O atacante do PSG frequenta assiduamente o Paris 6 e possui, inclusive, um prato com o seu nome – algo que é de praxe para os clientes mais famosos, e que também acontece com o repórter. Zé Edgard, como CEO, poderia ter contato com ambos. Segundo o Blog do Paulinho, o advogado foi sócio do jogador em uma filial de Miami.

Na última sexta-feira, um trecho de uma conversa entre Najila e José Edgard, divulgado pela TV Record, tornou a participação de Mauro Naves no caso Neymar ainda mais suspeita. Na mensagem, Zé Edgard diz que está em Teresópolis – onde Mauro fazia a cobertura da preparação da seleção brasileira – e que está com uma pessoa poderia ajudá-la em um acordo. O site Notícias da TV afirmou que o vazamento do trecho complicou a situação de Naves na Globo e que a cúpula da emissora tentou poupar o jornalista na nota lida por Bonner no JN – segundo o site, a emissora estaria convicta de que Mauro Naves é a pessoa a quem José Edgard se refere.

Ainda de acordo com o portal, a Globo investiga a real participação de Mauro Naves no caso e trabalha com a possibilidade de ele ter atuado para abafar a notícia. A situação teria deteriorado consideravelmente o ambiente para o repórter na emissora.

“Naj, estou em Teresópolis conversando com a pessoa que, eventualmente, poderá ajudar no encaminhamento do acordo. O laudo médico ficou pronto, está excelente. Preciso que você me mande agora aquela foto de como ficou roxo e bem feio. Mande também a mensagem do babaca mandando a foto pra você. Quero sair daqui com uma solução encaminhada”, diz a mensagem.

Atuação de José Edgard Bueno no caso Neymar

O advogado, pelo escritório Fernandes e Abreu Advogados, foi o primeiro a representar Najila na acusação de estupro feita contra Neymar. Ele deixou o caso na mesma data em que as primeiras informações foram divulgadas pela imprensa, no dia 1 de junho. Em entrevista ao jornal O Globo, disse que o motivo foi por entender que o caso se tratava de agressão física e que a melhor forma de conduzir era buscar uma indenização por meio de acordo.

“Eu me convenci de agressão. Nunca tratamos o caso como estupro. Ela só passou a tratar o caso como estupro após a frustração do acordo (tentativa de conciliação com advogados do jogador)”, afirmou, em reportagem publicada no último dia 4.

José Edgard Bueno prestou depoimento no dia 6 de junho. Na ocasião, o advogado dele, Pedro Bereta, explicou que a intenção, haja vista que Bueno não foi intimado pela delegada, era apenas “esclarecer alguns pontos”.

LEIA MAIS:
Em diálogo vazado, ex-advogado de Najila relata ameaças do pai de Neymar; veja