Governo Federal veta pagamento de bolsa com Lei de Incentivo e prejudica atletas, diz blog

Secretaria Especial do Esporte proíbe pagar bolsa-auxílio com recursos de Lei de Incentivo ao Esporte e afeta jovens atletas, segundo o Blog Olhar Olímpico

Anderson Lima
Colaborador do Torcedores

Crédito: Reprodução: Facebook Oficial / Secretaria Especial do Esporte

De acordo com matéria publicada no Blog Olhar Olímpico, o órgão atualmente responsável por gerir o esporte em nível federal mudou de postura. A Secretaria Especial do Esporte informou vários clubes formadores de atletas olímpicos de que não seria possível o pagamento de bolsa-auxílio usando verba da Lei de Incentivo ao Esporte (LIE). Tal medida afeta e pode desamparar mais de mil atletas, em boa parte iniciando sua carreira desportiva.

A gestão federal do esporte já tinha anteriormente estipulado um teto de R$ 2,4 mil mensais por atleta e que a bolsa-auxílio (que hoje atende atletas em começo de carreira e sem resultados nacionais) só seja atribuída a quem não recebe o Bolsa Atleta. No ano passado, a CGU (Controladoria Geral da União) já tinha recomendado em 2018 que os projetos não incluíssem o pagamento das bolsas. O então Ministério do Esporte à época prosseguiu aprovando projetos que as incluíam com base num estudo atestando a legalidade do ato e os proponentes continuaram captando esse tipo de recursos.

Diante dessa postura anterior, quando houve a mudança atual, clubes como Pinheiros, Sogipa, Minas Tênis Clube e Flamengo se viram surpreendidos. Mesmo com o dinheiro, não podem mais pagar os atletas. Uma das saídas alegadas foi mudar os projetos a tempo, alterando a bolsa por outras despesas.

Procurada pelo Blog Olhar Olímpico, a Secretaria Especial do Esporte não explicou o motivo que gerou essa mudança de atitude em relação às bolsas e disse que está estudando revê-la.

LEIA MAIS:
Projeto de lei propõe proibir mulheres trans em competições femininas
Pan 2019: Indígena será representante brasileira no tiro com arco