Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

John John Florence e Lakey Peterson vencem o Margaret River Pro

A gaúcha Tatiana Weston-Webb foi vice-campeã na final com Lakey Peterson e John John Florence disparou na liderança do ranking com a vitória sobre Kolohe Andino na Austrália

Aline Taveira
Colaboradora do Torcedores.com.

Crédito: (Photo by Matt Dunbar/WSL via Getty Images)

A gaúcha Tatiana Weston-Webb representou o Brasil no pódio do Margaret River Pro, nesta terça-feira na Austrália. Ela acabou não conseguindo o título na final contra a norte-americana Lakey Peterson nas ondas de 6-8 pés em Main Break, enquanto o paulista Caio Ibelli foi derrotado nas semifinais pelo campeão, John John Florence, ficando em terceiro lugar.

Com a vitória sobre o californiano Kolohe Andino na final, o havaiano disparou na frente da corrida pelo título mundial da temporada.

“Estou muito feliz com o meu resultado, porque não tinha ido bem nos três primeiros eventos do ano”,disse Tatiana Weston-Webb. “Aqui eu consegui ficar mais calma para competir, sem botar tanta pressão sobre mim mesma. Foi ótimo voltar ao West Australia, que é um lugar lindo e com altas ondas. Agora vamos para o Brasil, o que me deixa muito empolgada por todo o apoio que recebo lá. Certamente, é um dos meus eventos favoritos e espero conseguir outro bom resultado lá. Não vejo a hora do campeonato começar em Saquarema”.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!

Com a vitória no Margaret River Pro, Lakey Peterson tirou exatamente o sexto lugar no Jeep Leaderboard da australiana Sally Fitzgibbons, barrada na primeira semifinal pela brasileira Tatiana Weston-Webb. A gaúcha só ganhou uma posição no ranking com o vice-campeonato, subindo do décimo para o nono lugar.

“Eu estava muito feliz porque esperaram para encerrar o evento hoje (terça-feira), com ondas muito melhores para as finais”,destacou Lakey Peterson. “Derrotar a Stephanie (Gilmore) nas quartas de final e a Carissa (Moore) hoje para chegar na final, me deu uma motivação extra e o meu surfe se encaixou perfeitamente aqui em Main Break. Todo mundo está surfando bem e foi um evento incrível. A Tatiana (Weston-Webb) surfou muito bem e parabéns para ela”.

A brasileira chegou a igualar a maior nota da californiana – 6,40 – em sua melhor onda durante a bateria, mas Lakey Peterson garantiu a vitória no final, quando conseguiu um 6,93 para totalizar 13,33 pontos, contra 10,40 da Tatiana Weston-Webb. Nas semifinais, a gaúcha teve mais chances de mostrar a potência do seu backside nas direitas de Main Break, derrotando a australiana Sally Fitzgibbons com notas 7,00 e 6,33. Na outra semifinal, Lakey Peterson também brilhou, somando 8,10 com 7,87 para superar a havaiana Carissa Moore por uma pequena diferença, 15,97 a 15,80 pontos.

John John Florence confirma a primeira posição, independentemente dos resultados dos seus oponentes, se chegar nas quartas de final do Oi Rio Pro. Seu principal adversário é o novo vice-líder, Kolohe Andino, que, mesmo assim, chega em Saquarema precisando ser semifinalista no mínimo, desde que o havaiano não passe nenhuma bateria em Saquarema.

“Estou super feliz por ganhar novamente aqui em Margaret River e eu realmente adoro esse lugar”disse John John Florence. Essa foi a segunda final que faço com o Kolohe (Andino) aqui e ele é sempre uma ameaça. Os últimos 12 minutos foram muito estressantes, porque o mar ficou devagar, então eu sabia que tinha escolher a onda perfeita para vencer. Eu acho aqui bem parecido com o Havaí, com muitas ondas diferentes e sempre gostei de vir pra cá, desde a minha primeira vez. Eu nem consigo acreditar que estou vivendo esse momento, surfando e competindo bem de novo depois da contusão no ano passado. Estou feliz por estar de volta ao topo e espero continuar assim, mas ainda temos um longo ano pela frente”.

G-22 do CT

Com o terceiro lugar no Margaret River Pro, Caio Ibelli ganhou onze posições no ranking e entrou no grupo dos 22 primeiros que são mantidos na elite, para o CT do ano que vem. Ele estava em 31.o lugar e subiu para vigésimo, logo abaixo do cearense Michael Rodrigues em 17.o e do catarinense Willian Cardoso e do paranaense Peterson Crisanto, empatados em 18.o. Além deles, o catarinense Yago Dora e o paulista Deivid Silva estão fechando o G-22 do CT dividindo o 22.o lugar e mais três brasileiros estão acima deste grupo, Gabriel Medina em 12.o, Filipe Toledo em sexto e Italo Ferreira na terceira posição.

Saiba tudo sobre surf em Quebrando Quilha!

Leia mais: Alerta de tubarão ameaça competição no Margaret River Pro

O surfe feminino brasileiro precisa de ajuda

João Chianca vence o QS 3000 Héroes de Mayo Iquique Pro, no Chile