Elaborado por deputado, projeto quer obrigar empresas de comunicação a chamarem estádio por “naming rights”

A ocultação dos “naming rights” por parte da imprensa dificulta muitos clubes a fecharem patrocínios para seus estádios

Cido Vieira
Jornalista em formação, e apaixonado por futebol desde criança. No Torcedores.com, trabalho como setorista do Botafogo e futebol nordestino
Estádio

Crédito: Divulgação/Allianz Parque

Assunto polêmico entre clubes e empresas de comunicação, a obrigatoriedade de chamar um estádio pelo seu “naming right” pode ser instituída em breve. Na Assembleia Legislativa de São Paulo já corre um projeto para regulamentar o fato.

A proposta é de autoria do deputado Rafa Zambaldi (PSB). Além desta solicitação, no projeto proposto pelo parlamentar, todos os times de todas as modalidades teriam que obrigatoriamente ter patrocinador no nome, algo comum no vôlei e no basquete.

“Ao esconder os naming rights, a mídia desestimula outras empresas privadas a investir. Sem os investimentos das grandes empresas privadas, as arenas passam a ficar em dificuldades, os clubes esportivos se enfraquecem, prejudicando torcedores, clubes e atletas”, explicou o deputado.

Há muito tempo, empresas e clubes já divergiram sobre o assunto. O caso mais recente e de grande repercussão ocorre com o Allianz Parque. A casa do Verdão é chamada de Arena Palmeiras em todas as empresas do Grupo Globo.

O Corinthians também alega prejuízo nesta prática das empresa, e dá como justificativa o fato de ainda não ter um “naming right” para seu estádio justamente pelas empresas não chamarem a sua casa pelo nome do patrocinador, o que afasta os interessados em comprar os direitos.

LEIA MAIS:

Notícias do Palmeiras: veja o que rolou nesta terça (11)

Mercado da bola: Palmeiras acerta renovação de contrato com Felipe Melo

Por que o torcedor do Palmeiras comemora tanto o Dia dos Namorados?