Recoba, ex-Inter de Milão, diz à site que recebeu propostas de dois clubes brasileiros e explica por que não aceitou

Em entrevista à site, o ex-craque da seleção uruguaia e da Inter de Milão falou sobre propostas que recebeu de dois clubes brasileiros no passado

Adriano Oliveira
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Facebook oficial Alvaro Recoba

Álvaro Recoba, hoje com 43 anos, é considerado um dos maiores jogadores da história do futebol uruguaio e teve passagem importante pela Internazionale de Milão, da Itália. O ex-craque está no Brasil para a disputa da Copa Internacional de Futebol Legends e concedeu entrevista para o “FoxSports.com.br”, onde falou sobre um episódio pouco conhecido de sua carreira.

Ao site, o uruguaio revelou que por pouco não atuou no futebol brasileiro. Ele disse que teve propostas para jogar em dois clubes, Avaí e Sport, mas optou por permanecer com a família em seu país.

“Sim, faz tempo. Era o Avaí, de Santa Catarina, e outra equipe em Recife, o Sport. Mas eu estava buscando felicidade no Uruguai com a minha família, já com 32 anos (…) Fui muitas vezes ao Brasil com a seleção, Eliminatórias de 2002, 2006… Tive muitos companheiros brasileiros que tenho possibilidade de falar com eles. Maicon, Júlio Cesar… Sempre lindo vir (ao Brasil), os uruguaios veem os brasileiros com muita alegria”, declarou o ex-jogador ao “Fox Sports”.

Está em dúvida sobre qual curso de faculdade escolher?

Recoba ao lado de Luiz Suárez (Foto: Facebook oficial Alvaro Recoba)

Recoba começou a carreira profissional no Danúbio, em 1993. Fez 32 gols em 31 partidas e logo se transferiu para o Nacional, ambos do Uruguai. Manteve o mesmo nível de rendimento, com 30 gols assinalados em 27 jogos. Aos 17 anos, foi convocado pela primeira vez para a seleção uruguaia, em 1995.

Seu futebol chamou atenção dos europeus e o jogador foi contratado então pela Inter de Milão, da Itália, onde se destacou jogando ao lado de craques como Ronaldo Fenômeno, Zamorano e Roberto Baggio. Também teve passagens pelos italianos Venezia e Torino.

“El Chino”, como ficou conhecido, defendeu a seleção do Uruguai por 12 anos e disputou a Copa do Mundo da Ásia em 2002 e a Copa América de 2007, na Venezuela. Encerrou a carreira em 2016, aos 40 anos de idade.

LEIA MAIS

Em discurso otimista, Messi destaca que Argentina “não pode baixar os braços”

Ídolo do Santos e “youtuber mais velho do país”, Pepe crê em título do Brasil na Copa América mesmo sem Neymar