Suárez relembra período difícil que viveu com sua família após mordida em Chiellini: “Sofri muito”

Um dos lances marcantes da Copa de 2014 foi a mordida de Suárez em Chiellini, que acarretou em uma suspensão para o atacante.

Bruno Romão
22 anos, estudante de Jornalismo, amante da escrita, natural de Campina Grande (PB) e um completo apaixonado por futebol. Contato: bruno.romao.nascimento@gmail.com

Crédito: Matthias Hangst/Getty Images

Após a agressão, Suárez foi suspenso por nove jogos da seleção uruguaia, além de pegar um gancho de quatro meses de qualquer atividade envolvendo o futebol. Sendo assim, ele ficou impedido de ser apresentado pelo Barcelona e viveu um período dramático com sua família, momentos que revelou em entrevista à ”Fox Sports Uruguai”.

“No começo minha esposa me perguntou o que aconteceu e eu disse ‘não, eu bati nele’, não aceitando a realidade e isso foi um grande erro. Foi muito pior, por isso eu lidei com psicólogos e isso me ajudou muito a aceitar os erros e crescer. Sofri muito, passei por um tempo terrível, para minha esposa, meus filhos e meus companheiros”, declarou.

“Foi desumano quando como tratado. Assinei com o Barcelona e nem sequer tive uma apresentação. Quando estava prestes a voltar e treinar, a minha filha viu-me com roupas diferentes e me perguntou porque estava vestido assim e disse ‘eles não  deixam o papai entrar, porque ele ele equivocou’. Senti que a minha carreira estava indo embora”, acrescentou.

Suárez também falou sobre as críticas que seu companheiro de clube e amigo, Messi, enfrenta no dia a dia.

”Nós falamos muitas dessas coisas e obviamente isso o machuca como um ser humano. O jogador tem que estar acostumado com as críticas dentro de campo, mas não com críticas externas. Muitos saem para criticá-lo e ele nunca diz nada, nem para um técnico nem um jogador. Na seleção eu acho que é o mesmo, eles pediram coisas e ele disse ‘não me pergunte nada, tome a decisão”’, afirmou.

LEIA MAIS