“Viemos ser protagonistas na Copa América”, afirma treinador da Venezuela

Rafael Dudamel vai além e diz que sua equipe pode até brigar pelo título da competição. Venezuelanos estão no grupo da Seleção Brasileira e estreiam neste sábado (15).

Gustavo Militão
Jornalista de Recife-PE, apaixonado por esportes.

Crédito: Gonzalo Arroyo Moreno/Getty Images

Os tempos de uma seleção da Venezuela sendo “saco de pancadas” em competições como a Copa América ficaram para trás. E se depender da confiança do treinador da Viñotinto, Rafael Dudamel, sua seleção chega ao Brasil com esperanças de fazer uma grande campanha. E porque não até disputar o título do torneio.

“Quando se tem a linda tarefa de selecionar 23 entre 40 jogadores de tanta capacidade, que vivem um momento de protagonismo em seus clubes, não se pode chegar com timidez. Tem que se atrever. Viemos ser protagonistas nesta Copa América e nos despedir em sete de julho (data marcada para a grande final, no Maracanã). Sabemos da responsabilidade que carregamos e estamos dispostos assumir isso”, afirmou Dudamel em entrevista coletiva.

Dudamel exalta equilíbrio

O treinador da Venezuela também destacou que sua equipe está preparada para a exigência do torneio. “Entendemos o respeito que temos que ter com todos os rivais e sabemos da dificuldade que é jogar a Copa América. Mas é um bom momento para ganhar e estamos prontos para começar a competir”, disse.

A estreia dos venezuelanos no grupo A da competição é neste sábado (15). O jogo será contra o Peru, às 16h (horário de Brasília), em Porto Alegre. Atualmente ocupando a 29ª posição no Ranking da FIFA, a equipe atravessa um ótimo momento. Venceu a Argentina de Lionel Messi em amistoso, no começo do ano. Além de vir colecionando boas campanhas nos torneios de base. E Rafael Dudamel quer aproveitar o momento favorável para construir uma sólida base para o futuro da Viñotinto.

“Buscamos uma seleção bem equilibrada com juventude, talento, experiência, hierarquia, e está ansiosa de começar a competir amanhã”, refletiu o treinador da Venezuela.

LEIA MAIS: CBF viaja até 1919 e transforma site e redes sociais em homenagem ao título Sul-Americano do Brasil