Mulheres no centro das atenções no Volkswagen SA Open of Surfing by Hurley

Um impressionante campo de surfistas locais e internacionais chegará a Port Elizabeth de 13 a 17 de junho para a penúltima parada na City Surf Series

Aline Simon
Colaborador do Torcedores

Crédito: Bianca Buitendag WSL / MATT DUNBAR

O Volkswagen SA Open of Surfing pres by Hurley é um dos destaques da WSL Qualifying Series Tour, apresentando os eventos femininos QS 3000, QS 1000 Men e QS 1000 Junior masculinos e femininos.

Time africano

Um destaque para a equipe sul-africana é a antiga competidora do Championship Tour (CT), Bianca Buitendag, de Victoria Bay. Buitendag é a sul-africana mais bem classificado e se junta a uma dúzia de atletas locais no line-up. Teal Hogg, de Durban, foi agraciada com o wildcard da WSL Africa e os jovens excitados Zoë Steyn (East London) e Ceara Knight (Kommetjie) receberam os dois wildcards.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!

QS 3000 feminino

Uma nova Volkswagen SA Open pres. por Hurley campeão será coroada, já que Brisa Hennessy (CRI) não estará defendendo seu título. A vitória de Hennesy em 2018 catapultou-a para os dez primeiros da Qualifying Series, ganhando um lugar na Dream Tour para 2019. A categoria internacional de competidores internacionais inclui as melhores Philippa Anderson (AUS) e Mahina Maeda (JPN), além de ex-campeões a campeã mundial Sofía Mulánovich (PER) e a ex-surfista do CT Pauline Ado (FRA). Zoe McDougall, do Havaí, que conquistou algumas vitórias na África do Sul, incluindo o título Volkswagen SA Open Junior em 2018, retorna ao PE para sua primeira competição na WSL Africa Tour.

QS 1000 masculino

No QS 1000 masculino, o sul-africano Matthew McGillivray (Jeffreys Bay) competirá em seu primeiro evento na WSL Africa Tour, após um exigente cronograma internacional para o primeiro semestre do ano. O trabalho duro de McGillivray foi recompensado depois de terminar em 3º lugar no Heroes de Mayo Iquique Pro no Chile. Ele enfrentará a dura concorrência de um confiante Dylan Lightfoot (Jeffreys Bay), que recentemente ganhou dois títulos consecutivos de QS na WSL Africa Tour, incluindo o Royal St. Andrews Hotel Port Alfred Classic. O australiano Jordan Lawler, atualmente em 7º no ranking QS, espera garantir seu lugar entre os dez primeiros com um bom resultado na África do Sul.

Time brasileiro

Além de contar com atletas internacionais e locais, com os melhores surfistas da África do Sul, o único representante na categoria masculino é o brasileiro Luan Carvalho.

Leia mais: Oi Rio Pro tem os 11 titulares da seleção brasileira confirmados em Saquarema

Taís de Almeida assume a liderança do ranking brasileiro de surfe

Tainá Hinckel conquista o Pena Little Monster no Pro Junior

O surfe feminino brasileiro precisa de ajuda