Argélia faz gol cedo, segura Senegal e conquista o bi da Copa Africana de Nações

Argélia soube administrar vantagem obtida com gol marcado logo cedo para segurar Senegal e ser campeã

Paulo César Desidério Costa
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Divulgação/Twitter CAF

A Argélia conquistou o bicampeonato da Copa Africana de Nações, ao vencer a edição de 2019 nesta sexta-feira (19). O título veio com vitória sobre a seleção de Senegal por 1 a 0, com gol marcado pelo atacante Bounedjah, logo no segundo minuto da partida. Mesmo jogando a final abaixo do restante do campeonato, os argelinos tiveram competência para se defender, souberam sofrer e acabaram premiados com a conquista do principal título do futebol africano.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!

O Senegal, mesmo sendo superior durante todo o jogo, ficou mais uma vez no quase. A seleção comandada por Aliou Cissé voltou a disputar uma final, fato que não ocorria desde 2002, quando o hoje técnico ainda era jogador. O placar foi o mesmo de quando as duas seleções se enfrentaram na fase de grupos. No duelo entre Sadio Mané X Riyad Mahrez, melhor para o camisa 7, capitão das Raposas do Deserto, que comemoraram bastante o feito, que veio com uma campanha impecável, coroada com o título no Estádio Internacional de Cairo, no Egito.

Está em dúvida sobre qual curso de faculdade escolher?

Futebol de graça e ao vivo por 1 mês? Conheça o DAZN Brasil!

Primeiro tempo

Mesmo com Senegal tomando a iniciativa, nem houve tempo suficiente para que a Argélia sentisse a pressão. De cara, aos 2 minutos de jogo, os argelinos abriram o placar com Bounedjah. Os senegaleses deram bobeira na rápida chegada da equipe adversária, quando o atacante dono da camisa 9 acertou um chute espírita na meta defendida pelo goleiro Amigo Gomis. Antes de entrar, a bola desviou no zagueiro Sané, subindo e descendo de forma muito rápida, encobrindo o goleiro que tentou golpe de vista, em vão. 1 a 0.

O primeiro tempo prosseguiu sem muitas emoções. Os senegaleses sentiram o gol e demoraram a tentar impor seu jogo. Quando conseguiram, buscaram com tabelas e velocidade pelos lados do campo, mas pararam na defesa da Argélia, muito bem postada, de olho nos contra-ataques. Sem conseguir chegar pelo chão, Senegal apelou para as jogadas aéreas e para ligações diretas, sem sucesso.

Aos 37, enfim, uma boa oportunidade para o time senegalês. Depois de uma roubada de bola no meio-campo, Niang recebeu, girou e emendou um belo e potente chute que passou muito perto do ângulo do goleiro M’Bolhi. Daí, até o final do primeiro tempo, o jogo seguiu muito pegado, devido ao forte poder de marcação da seleção argelina. Sentada sobre o placar, a Argélia se limitou a se defender para tentar contra-atacar, mas sem nenhum êxito, devido aos erros de passe constantes.

Quem chega e quem sai dos clubes?

 

Quando a Argélia conseguiu partir em velocidade com vantagem numérica em uma eventual chance de perigo, o juiz camaronês Alioum Alioum encerrou o primeiro tempo em cima dos 47, cumprindo rigorosamente os dois minutos de acréscimo que havia prometido, para o desespero dos jogadores argelinos. Após o apito, um princípio de confusão foi registrado, mas embora o clima tenha esquentado, as equipes desceram para o vestiário.

Para se ter ideia do domínio senegalês no primeiro tempo, mesmo estando atrás no placar, foram cinco finalizações dos Leões de Teranga contra apenas uma (a do gol) das Raposas do Deserto. A posse de bola também escancarou o domínio. Senegal teve 62%, contra 38% dos argelinos. Como no futebol o que ganha jogo é bola na rede, a primeira etapa terminou com a Argélia na frente, vencendo por 1 a 0.

 

Segundo tempo

As duas seleções voltaram sem alterações para a segunda etapa. No segundo tempo, a Argélia voltou mais ligada e adiantou o time. Mesmo assim, nos primeiros dez minutos, Senegal prosseguiu com mais posse de bola e tomando conta das ações na partida, pela necessidade de igualar o marcador. Aos 58, o técnico Aliou Cissé lançou Diatta para a vaga de Ndiaye no time de Senegal, colocando sua equipe para frente.

Aos 59, em jogada veloz de Sarr pelo lado direito, o cruzamento bateu no braço de Guédioura e o árbitro marcou pênalti para Senegal. O VAR foi acionado. Após checagem, Alioum voltou atrás da decisão e os senegaleses, é claro, reclamaram. Após 4 minutos de interrupção, a partida foi retomada. Com 65 minutos, nova chance para Senegal. Niang recebeu excelente passe de Gueye pelo lado direito, invadiu a área, limpou o goleiro, mas sem ângulo, finalizou torto.

Acuada, a Argélia encolheu de novo no jogo e Senegal seguiu pressionando. Aos 68, Sabaly arriscou de fora da área do lado esquerdo para boa defesa de M’Bolhi, que espalmou. Quando o cronômetro marcava 73 minutos, a Argélia assustou na sua segunda finalização até ali. Belaili chutou forte, a bola desviou em Gassama e quase traiu novamente o goleiro Gomis.

Com 75 minutos, Aliou Cissé obrigou Senegal a partir para o tudo ou nada. Henri Saivet foi sacado para a entrada de Mbaye Diagne. Àquela altura, a seleção senegalesa tinha quatro atacantes em campo. Na pressão, bola na área da Argélia aos 81 minutos, a zaga afastou parcialmente, e Sarr, livre, chutou de voleio para fora, desperdiçando uma ótima oportunidade para os senegaleses.

Aos 83, buscando amarrar o jogo, duas substituições foram feitas pelo técnico Djamel Belmadi no time da Argélia. Belaili e Feghouli saíram para a entrada de Brahimi e Tahrat. No mesmo minuto, Cissé fez sua última alteração no time de Senegal, mandando Keita Baldé para a vaga de Niang. O atacante de Senegal sofreu uma falta na ponta esquerda logo na sua primeira jogada. Com diversos companheiros na área, Diatta optou pelo chute direto, que subiu muito.

Para ganhar tempo, no minuto 88, Djamel Belmadi fez sua última mudança no time argelino, sacando o autor do gol Bounedjah para a entrada de Slimani. O árbitro deu 4 minutos de acréscimo, enquanto o banco e a torcida da Argélia pediam o final da partida. Com chutões, os argelinos despachavam todas as tentativas de Senegal. A última chance do time verde foi aos 93, quando um toque de mão na entrada da área originou uma falta perigosa. O zagueiro Salif Sané jogou na barreira e o árbitro encerrou o jogo, selando o bicampeonato da Argélia 29 anos depois.

Estatísticas

Foto: Reprodução/Twitter CAF-Português

Ficha técnica

SENEGAL 0 X 1 ARGÉLIA

Data/Hora: 13/07/2019

Local: Estádio Nacional de Cairo – Egito

Árbitro: Alioum Alioum – CAM

Cartões Amarelos: Lamine Gassama, Idrissa Gueye (SEN); Aissa Mandi, Ramy Bensebaini, Adlène Guédioura, Youcef Belaili (ARG)

Cartões Vermelhos: Não houve

Gols: Baghdad Bounedhag (2′)

Senegal:  Gomis, Gassama, Kouyaté (C), Sané, Sabaly, Ndiaye (Diatta), Gueye, Sarr, Mané, Seivet (Diagne), Niang (Keita Baldé). Técnico: Aliou Cissé

Argélia: M’Bolhi, Zeffane, Benlamri, Mandi, Bensebaini, Guédioura, Feghouli (Tharat), Bennacer, Belaili (Brahimi), Mahrez e Bounedjah (Slimani). Técnico: Djamel Belmadi

LEIA MAIS 

Futebol: saiba quais são os jogos desta sexta-feira (19)