Brasil abusa dos erros, é superado pelos EUA no tie-break e disputa bronze contra algoz Polônia

O Brasil chegou a abrir 2-1 em sets neste sábado (13) contra os EUA, mas os adversários jogaram no calcanhar de aquiles da seleção e vão disputar a final da Liga das Nações contra a atual campeã Rússia

Andressa Fischer
Gaúcha, 22 anos | Escrevo sobre vôlei, futebol feminino e dupla Gre-Nal.

Crédito: Foto: Divulgação/FIVB

Jogando em Chicago, nos Estados Unidos, o Brasil saiu perdendo para os donos da casa no primeiro set por 25/21. Mas se recuperou na parcial seguinte: colocando a linha de passe adversária em dificuldade, com um excelente saque e uma boa virada de bola, empatou a partida em 1-1 (25/21, 17/25).

CONMEBOL Sul-Americana, Serie A Italiana, Ligue 1 Francesa, além de acompanhar também as emoções da Série C do Brasileirão e muito mais, em HD e em diversos dispositivos. Acompanhe tudo pelo DAZN por R$ 37,90 por mês após os primeiros 30 dias grátis.

E no terceiro set a seleção brasileira voltou com o mesmo ímpeto. Controlando o jogo, e apostando no saque viagem, principalmente com Leal – autor de 3 aces no jogo, não deixou os norte-americanos gostarem do jogo e virou o placar: 2-1 (25/21, 17/25, 21/25).

Mas com o apoio da torcida presente no ginásio, a seleção dona da casa voltou para o quarto set disposta a reverter a situação e ir para a final. E foi o que aconteceu. Desta vez, a chave virou, e quem colocou dificuldade no saque foi os EUA.

Com uma visão de jogo excelente de Christenson, os norte-americanos souberam se aproveitar dos erros brasileiros, e jogaram o tempo todo no calcanhar de aquiles brasileiro: a recepção. Renan bem que tentou mexer no time, trocando Leal por Maurício Borges no fundo de quadra, para melhorar o passe, mas não adiantou muito. Era o empate dos EUA na partida: 25/20.

Abatido após deixarem os donos da casa retomarem o controle do jogo, os brasileiros não se encontraram em quadra no quinto e decisivo set e pecaram mais uma vez no passe. Foi assim que os EUA rumou para a final. E sem passe, ficava difícil para os atacantes fazerem algo na rede.

Brasil enfrenta velho conhecido na disputa pelo bronze

Agora a seleção brasileira enfrenta a algoz Polônia na disputa do terceiro lugar da Liga das Nações 2019. O jogo será às 17h deste domingo (14), e os comandados de Renan Dal Zotto querem dar o troco nos poloneses – após a derrota na estreia da fase final – além de não quererem repetir o quarto lugar da edição passada.

E os EUA jogam a grande final do torneio contra a atual campeã Rússia, às 20h. Ambos os jogos pelo horário de Brasília-DF, e com transmissão do SporTV 2.

LEIA MAIS

Seleção brasileira tropeça no time B da Polônia e se complica na Liga das Nações