Com recorde de público, Internacional vence o Nacional e avança às quartas de final da Libertadores

Em noite que marcou o recorde de público do novo Beira-Rio, o Internacional derrotou o Nacional por 1-0 e se classificou para as quartas de final da Libertadores.

Fabrício Carvalho
Jornalista formado / Rio de Janeiro. Redator de notícias, artigos e relatos sobre futebol nacional e internacional, basquete e esportes americanos.

Crédito: Divulgação / CONMEBOL

 Internacional Sport Club Internacional crest.svg 2-0 Escudo del Club Nacional de Football.svg Nacional

Internacional avança no agregado: 3-0.

O Internacional avançou às quartas de final da Libertadores 2019 após uma grande vitória diante do Nacional (Uruguai) pelo placar de 2-0 no Beira-Rio, que viveu uma noite de estádio lotado e recorde de público, com 48 mil presentes.

A equipe colorada conseguiu manter o controle de praticamente toda a partida, com muitos passes trocados (489, 82% de aproveitamento), mais de 20 finalizações, muita movimentação dos jogadores e excelente desempenho coletivo.

No primeiro tempo, Rodrigo Moledo foi às redes, aos 16′, com assistência do argentino D’Alessandro. O segundo gol foi marcado por Paolo Guerrero, nos acréscimos do 2º tempo, após assistência de Rafael Sóbis.

Com isso, os colorados avançaram às quartas de final. O adversário será definido no confronto entre Flamengo e Emelec.

O Internacional voltará a campo no próximo sábado (3), às 19h, em confronto contra o Fluminense no Rio de Janeiro, pela 13ª rodada do Brasileirão. Possivelmente, um time alternativo será utilizado, pois a equipe terá pela frente o Cruzeiro na próxima quarta-feira (7), no jogo de ida das semifinais da Copa do Brasil.

O próximo jogo do Nacional será no Campeonato Uruguaio (Intermedio), fora de casa, contra o Boston River, no próximo domingo (4).

 

Primeiro Tempo

O Internacional iniciou a partida com mais volume de jogo, sem sofrer ações ofensivas nos primeiros dez minutos e com muita troca de passes. Eram 61 passes trocados com 90% de aproveitamento, com três finalizações executadas.

Na chance mais perigosa dos primeiros dez minutos, Nico chutou após passe de Uendel, promovendo à primeira defesa do goleiro Mejía. No lance seguinte, Nico López teve a oportunidade de marcar após passe de D’Alessandro, mas chutou por cima.

A equipe brasileira seguiu construindo mais jogadas e dominando as ações do primeiro tempo, e assim, aos 16′, chegou ao primeiro gol, em jogada aérea construída após cobrança de escanteio. D’Alessandro cruzou para Rodrigo Moledo, que fugiu da marcação e acertou a meta do gol, abrindo o placar do jogo.

Após o primeiro gol, o Internacional seguiu com o controle da partida, com muitos toques e boa posse de bola. O Nacional chegou a ter cobrança de escanteio, sem sucesso. Logo depois, Corujo cometeu infração contra Guerrero e recebeu cartão amarelo.

O técnico Alvaro Gutierrez aparentou ter mudado a postura de sua equipe após uma orientação, a partir dos 25′, quando sua equipe passou a pressionar mais a saída de jogo do Internacional e subiu a marcação.

Porém, ao tomar a atitude de pressionar a saída de posse, o técnico do Nacional assumiu os riscos de tomar o segundo gol. Após alguns minutos de pressão, o Internacional voltou a ameaçar a equipe uruguaia e quase chegou ao segundo gol. Aos 33′, depois de uma intensa troca de passes na grande área, Nico López venceu Mejía e foi às redes, mas a jogada foi anulada por impedimento de Uendel.

López teve mais uma chance, logo em seguida. Após lançamento de Victor Cuesta, López saiu em velocidade e chegou sem marcação na grande área, mas desta vez, foi parado pelo goleiro adversário.

Com 40′, o Nacional voltou a finalizar, após mais de 10min sem chegar perto do gol. Após jogada construída na parte central do campo, Ramírez teve a chance de finalizar. Mas, acabou jogando pela linha de fundo.

Em novo contra-ataque, os gaúchos quase conseguiram o segundo gol, aos 44′. Edenílson iniciou a jogada, Guerrero avançou rapidamente pelo lado esquerdo do campo e cruzou para a grande área. Patrick disparou e tentou o cabeceio fatal, mas a bola havia desviado antes em Corujo, atrapalhando a definição do lance.

Nos acréscimos, o Internacional chegou mais uma vez perto do gol, em mais uma jogada de contra-ataque. Nico López, novamente, recebeu sem marcação no lado esquerdo e tocou na saída do goleiro adversário, marcando o gol. O lance foi amplamente revisado pelo VAR, e após três minutos de paralisação, o impedimento foi confirmado. O lance encerrou o primeiro tempo, com 1-0 a favor do Internacional.

Foram 10 finalizações da equipe brasileira na etapa, sendo cinco delas na meta do gol, com 229 passes trocados e 82% de aproveitamento. O Nacional finalizou quatro vezes, com apenas uma chance real de gol.

 

Segundo Tempo

O início do 2º tempo ficou marcado por uma postura mais ofensiva do Nacional. A equipe precisava de dois gols para conseguir a classificação, e por isso, voltou a adiantar a marcação e pressionar a saída de bola. Apesar de ter errado a meta do gol, a equipe havia finalizado em três oportunidades nos primeiros 10 minutos.

Com 12′ de partida, uma falta perigosa a favor do Nacional. Lorenzetti teve a oportunidade do cruzamento, Zunino desviou, mas a bola saiu pela linha de fundo.

No minuto seguinte, o Internacional teve a chance do primeiro contra-ataque. Nico López ganhou da marcação pela esquerda, conseguiu espaço e acionou D’Alessandro, que estava desmarcado e chutou com força, para a fora do gol. Em nova jogada, Guerrero foi acionado no jogo aéreo, mas também errou a finalização.

Em mais uma jogada construída, os gaúchos tiveram mais uma chance real de gol, que terminou com um forte chute de Guerrero, em cima do goleiro adversário. Após este lance, aos 18′, Nico López deixou o campo para a entrada de Rafael Sóbis, na primeira alteração de Odair Hellmann.

Após esta alteração, Rodrigo Lindoso acabou trombando com Gabriel Neves e ficou sem condições de jogo, saindo de carro-maca. Com isso, Nonato acabou entrando em campo, com 24′ da segunda etapa.

Álvaro Gutiérrez também aproveitou o momento para mexer em sua equipe. Kevin Ramírez saiu para a entrada de Chory Castro, meio-campista de origem.

Um novo lance de perigo a favor do Internacional ocorreu aos 25′ da segunda etapa. Nonato teve sua primeira oportunidade no jogo, recebendo pela direita por D’Alessandro e infiltrando dentro para dentro, com a bola passando muito perto da trave esquerda de Mejía. O Nacional aproveitou e realizou a segunda alteração, com a entrada de Barrientos no lugar de Lorenzetti.

A equipe uruguaia efetuou a última alteração aos 33′, com saída de Zunino para a entrada do atacante Sebastían Fernández. O time conseguiu, por cinco minutos, esboçar uma possível reação. Mas, aos 35′, o Internacional conseguiu chegar com perigo novamente, em mais uma jogada combinada entre Guerrero e D’Alessandro.

Nos minutos finais, o Nacional tentou trocar passes no campo ofensivo, mas não conseguiu criar jogadas ofensivas de real perigo, demonstrando cansaço físico em campo. O Internacional ficou mais protegido no campo defensivo e não correu riscos.

Houve tempo ainda a entrada de Wellington Silva em campo, substituindo D’Alessandro. O argentino foi muito aplaudido pela torcida durante sua saída.

Para concretizar a classificação, o segundo e fatal decisivo gol do confronto a favor do Internacional. Paolo Guerrero chegou pela direita, com espaço para finalizar, e venceu o goleiro adversário, marcando seu 4º gol na competição, aos 48′ de jogo.

O gol fechou a partida em 2-0, e placar agregado de 3-0 a favor do Internacional, classificado às quartas de final da Libertadores.

 

FICHA TÉCNICA
INTERNACIONAL 2-0 NACIONAL

Estádio: Estádio do Beira-Rio
Data/hora: 30/07/2019, 19:15
Árbitro: Fernando Rapallini (Argentina)
Público Presente: 48.530 (recorde no atual Beira-Rio)

Gols: 1T 16′ Rodrigo Moledo (INT); 2T 45′ Guerrero (INT).

Cartão Amarelo: 1T 22′ Guzmán Corujo (NAC); 1T 26′ Bruno (INT); 2T 39′ Nonato (INT)

Substituições INT: 2T 19′ Rafael Sóbis (Nico López), 2T 25′ Nonato (Rodrigo Lindoso), 2T 43′ Wellington Silva (D’Alessandro)

Substituições NAC: 2T 23′ Chori Castro (Kevin Ramírez), 2T 28′ Pablo Barrientos (Gustavo Lorenzetti), 2T 34′ Sebastián Fernández (Matías Zunino).

INTERNACIONAL (4-3-3): Marcelo Lomba; Bruno, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta, Uendel; Edenilson, Rodrigo Lindoso, Patrick; D’Alessantro, Guerrero, Nico López. (Técnico: Odair Hellmann)

NACIONAL (4-2-3-1): Luis Mejía, Guilhermo Cotungo, Guzmán Corujo, Felipe Carvalho, Matías Viña; Matías Zunno, Rafael Garcia, Gabriel Neves, Kevin Ramirez; Gustavo Lorenzetti; Gonzalo Bergessio. (Técnico: Álvaro Gutiérrez)