Copa do Brasil gringa: confira cinco jogadores estrangeiros que brilharam na competição

Arrascaeta, em 2018, marcou o gol do título do hexacampeonato do Cruzeiro na Copa do Brasil. Vários jogadores nascidos fora do país deixaram sua marca na competição. Confira:

Fábio Dias
Jornalista formado pela Universidade Nove de Julho, com especialização em Jornalismo Esportivo pela Cursos Prado.Os 140 caracteres do Twitter não estavam sendo suficientes para analisar todos os jogos que o autor acompanha durante a semana. O mundo é uma bola, nada mais justo do que este perfil retratar todas as nuances do esporte mais sensacional que já inventaram. Análises táticas, técnicas e históricas sobre os campeonatos do Brasil e do Mundo, com olhar crítico, aqui no Torcedores.

Crédito: Gringos têm participação importantes em edições da Copa do Brasil. (Foto: Reprodução/CBF)

Considerada a competição mais democrática do país, a Copa do Brasil também abre espaço para que jogadores estrangeiros brilhem em campo. Ao longo de três décadas, dezenas de gringos jogaram na competição, principalmente a partir da década passada.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva

Por isso, o Torcedores traz agora cinco jogadores de que migraram para o país e se destacaram no torneio.

1 – Dejan Petkovic

Único jogador da lista que não foi campeão da Copa do Brasil, Petkovic tem seu lugar na seleção. Isso porque o sérvio, que mais tarde brilharia pelo Flamengo, é o único gringo a ser artilheiro de uma edição da competição.

Petkovic, ainda jovem, quando jogou pelo Vitória. (Foto: Reprodução/E.C. Vitória)

Em 1999, Pet marcou oito gols na campanha de oitavas de final do Vitória, eliminado pelo Palmeiras. O Leão da Barra, aliás, foi o primeiro clube brasileiro pelo qual o camisa 10 atuou. Ele havia sido emprestado pelo Real Madrid e chegou para marcar história. Naquela edição de Copa do Brasil, Petkovic compartilhou a artilharia com Romário – à época, no Flamengo.

2 – Hernán Barcos

O argentino é nada menos que bicampeão da Copa do Brasil, por dois clubes diferentes. Em 2012, Hernán Barcos foi um dos destaques do Palmeiras, na campanha que culminou no bicampeonato alviverde. O Pirata marcou um dos gols na semifinal contra o Grêmio, no Estádio Olímpico, que abriu caminho para a passagem do Palmeiras à decisão da competição. Ao todo, foram quatro gols naquela edição do torneio.

Seis anos mais tarde, em 2018, Barcos foi contratado pelo Cruzeiro em julho. Ele seria uma das opções do técnico Mano Menezes para suprir a ausência de Fred, lesionado. O Pirata, novamente, mostrou seu faro artilheiro e contribuiu, com um gol fundamental para a Raposa: o da vitória sobre o Palmeiras no Allianz Parque.

Barcos foi bicampeão da Copa do Brasil, com Palmeiras e Cruzeiro. (Foto: Reprodução)

Ele voltaria a marcar, em Belo Horizonte, diante do mesmo clube que o trouxe para o Brasil. O empate por 1 a 1 levou o Cruzeiro à final, que seria conquistada diante do Corinthians.

3 – Walter Kannemann

O único zagueiro da lista é, certamente, um dos principais destaques estrangeiros na década na Copa do Brasil. Kannemann formou uma dupla impecável com Pedro Geromel, no Grêmio.

O Tricolor dos Pampas terminaria campeão do torneio, em 2016, com o defensor argentino se destacando em cada dividida, nos mata-matas que terminaram no pentacampeão do Imortal.

4 – Juan Pablo Sorín

Lateral-esquerdo de boa chegada à frente, Sorín marcou história no Cruzeiro, único clube brasileiro pelo qual atuou em sua carreira. Virou ídolo ao conquistar o título da Copa do Brasil em 2000, depois de conquistar uma Libertadores pelo River Plate.

Primeiro jogador em pé à esquerda, Sorín estava no Cruzeiro campeao da Copa do Brasil em 2000. (Foto: Reprodução)

5 – Giorgian De Arrascaeta

O uruguaio foi o responsável pelo gol do título do Cruzeiro, na Arena Corinthians, diante do alvinegro, na vitória por 2 a 1. Antes mesmo de cruzar o campo e de encobrir Cássio, cruzou o mundo para estar apto para jogar.

No dia anterior à final, o meia-atacante estava na China, em compromisso com a seleção de seus país. Fato que merece um destaque especial bem como lembrar que Arrascaeta é bicampeão da Copa do Brasil.