Multinacional reafirma apoio à igualdade de pagamento no futebol e pressiona dirigentes dos Estados Unidos

P&G, empresa multinacional patrocinadora da US Soccer, endossa apoio ao Equal Pay com artigo no The New York Times; doação também é feita

Willian Ferreira
Colaborador do Torcedores.com e contador de histórias do esporte.

Crédito: Rede Globo/Reprodução

Uma das frases mais ouvidas durante Estados Unidos x Holanda, final da Copa do Mundo de Futebol Feminino, foi “Equal Pay”. Do inglês “pagamento igual”, a frase pedia que homens e mulheres fossem remunerados de maneira igualitária no esporte. A campanha ganhou mais um importante apoiador neste domingo (14).

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!

Trata-se da Procter & Gamble, popularmente conhecida como P&G, multinacional de bens de consumo. A empresa é uma das patrocinadoras da US Soccer, confederação norte-americana de futebol. O anúncio de apoio ao Equal Pay foi feito em pleno artigo no The New York Times, dos mais renomados jornais do planeta.

A empresa, porém, não ficou apenas na pressão sobre os dirigentes. A P&G afirmou que doará cerca de US$ 530 mil dólares (algo próximo de R$ 2 milhões) para a associação de jogadoras de futebol do país. Para as 23 atletas campeãs, US$ 23 mil para cada.

Outras empresas declararam apoio à causa das atletas. A Nike, por exemplo, exibiu um comercial com cerca de um minuto de duração falando, justamente, do Equal Pay. A Visa, pouco antes da Copa do Mundo, passou a patrocinar a US Soccer. Exigiu, porém, que pelo menos metade do valor seja destinado ao fomento e apoio do futebol feminino.

A seleção de futebol feminino dos Estados Unidos é tetracampeã da Copa do Mundo Feminina. As americanas venceram a competição da FIFA em 1991, 1999, 2015 e também em 2019.

LEIA MAIS
Ainda sem camisas femininas, tag #saopaulinasuniformizadas é relançada
Ex-treinadora da Seleção gera polêmica ao falar sobre Marta: “Só convocaria para a Copa do Mundo se tivesse 100%
Brasileira do Barcelona afirma ter sido vítima de racismo em jogo de futebol na Espanha