Fórmula 1 e Circuito de Silverstone renovam contrato por cinco anos

A pista, que sediou a primeira corrida da história da F1, foi confirmada como sede do GP da Inglaterra até 2024. O acordo foi fechado após complicadas negociações.

Gustavo Militão
Jornalista de Recife-PE, apaixonado por esportes.

Crédito: Twitter/Fórmula 1

Acabou o suspense em torno da permanência de Silverstone no calendário da Fórmula 1 nas próximas temporadas. Nesta quarta-feira (10), a Fórmula 1, o Clube Britânico de Pilotos de Corrida (BRDC) e o Circuito de Silverstone confirmaram a renovação do contrato da tradicional pista inglesa até 2024. Uma renovação marcada por muitas negociações envolvendo os administradores da pista e a Liberty Media, que controla a F1.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!

“Sempre dissemos que, para ter um futuro em longo prazo, nosso esporte deve preservar seus locais históricos. E Silverstone e a Grã-Bretanha representam o berço deste esporte, que teve seu ponto de partida em 1950”, afirmou o CEO da F1, Chase Carey. “Hoje, a Fórmula 1 é um esporte global, sediado em cinco continentes, assistido por uma audiência de 500 milhões de fãs ao redor do mundo. E nosso desejo é aumentar esse número levando o esporte que amamos para novos países, mas mantendo suas raízes”, complementou.

Polêmicas ameaçaram permanência do circuito no calendário da Fórmula 1

Silverstone foi a pista que recebeu a primeira corrida da história da Fórmula 1, em 13 de maio de 1950. Em 2020, ela completará 70 anos fazendo parte do calendário da F1, com 52 GPs disputados ao total. Todavia, divergências contratuais desde 2017 ameaçavam a continuidade da prova no lendário circuito. A Liberty Media exigia um aumento de 5% nas taxas originais do contrato original, assinado ainda com o ex-chefão da F1, Bernie Ecclestone. As taxas aumentariam para 26 milhões de Libras (cerca de R$ 122 milhões de reais). Por discordar da mudança dos valores, o BRDC invocou então a cláusula de interrupção do contrato.

A possibilidade de uma prova num circuito de rua em Londres chegou até a ser ventilada pelos dirigentes da Liberty. Mas a ideia encontrou resistência na categoria, que preferia a manutenção do circuito no calendário. Embora após dois anos de polêmicas, o acordo finalmente saiu. O administrador de Silverstone, Stuart Pringle, se mostrou aliviado após a confirmação da renovação de contrato com a Fórmula 1. “A perspectiva de não receber um grande prêmio em Silverstone teria sido devastadora para todos no esporte. Estou muito feliz por estarmos aqui hoje, na véspera do que certamente será um evento fantástico, fazendo este anúncio positivo sobre o futuro”, disse Pringle.

Neste domingo (14), o lendário Circuito de Silverstone receberá o GP da Inglaterra. A prova será a 10ª etapa do Campeonato Mundial de Fórmula 1, liderado pelo inglês Lewis Hamilton, da Mercedes.

LEIA MAIS: McLaren anuncia manutenção de Sainz e Norris na F1 para 2020