Números finais: veja todos os detalhes da Copa do Mundo de Futebol Feminino 2019

A França sediou um belo Mundial, vencido pela seleção Tetracampeã dos Estados Unidos. Veja os números finais

Lucas Calegari
Colaborador do Torcedores

Crédito: Divulgação - FIFA

A Copa das Copas chegou ao fim, mais de um milhão de torcedores passaram pelos estádios e os lotaram em muitas partidas. No jogo decisivo, vitória da seleção das seleções. Os Estados Unidos quebraram vários recordes e escreveram um capítulo belíssimo na história do esporte.

Foto: Getty Images

Título indiscutível

As americanas logo na estreia aplicaram a maior goleada de uma partida de Copa do Mundo, seja ela masculina ou feminina. Foram 13 gols, contra nenhum da frágil Tailândia. A craque Alex Morgan se aproveitou bem da chuva de gols e marcou cinco vezes. Ninguém marcou mais do que ela em uma mesma partida na história dos Mundiais.

Foto: Richard Heathcote/Getty Images

As americanas tiveram também um poderio ofensivo impressionante, ao todo foram 26 gols marcados em sete partidas. Fez ao menos dois gols em cada um dos sete jogos, é a primeira vez na história do futebol que uma seleção tem sete partidas seguidas, dentro de uma mesma competição, com esta marca.

Uma máquina de fazer gols, segura na defesa, foram apenas três gols sofridos, o que dá a segunda melhor média no quesito, 0,42 por jogo (perde apenas para a da Alemanha 0,40). Um time bem equilibrado, que mostrou isso também ao ter nove diferentes jogadoras marcando ao menos um gol (Megan Rapinoe, Alex Morgan, Lavelle, Carly Lloyd, Mewis, Horan, Christen Press, Julie Ertz e Pugh).

Foto: Getty Images

Essa super Tetracampeã tinha de ter um mega comando no banco de reservas. E tinha, Jill Ellis se tornou apenas a segunda pessoa na história do futebol a conquistar duas (2015 e 2019) Copas do Mundo treinando uma equipe (igualando o italiano Vittorio Pozzo campeão com a Itália em 1934 e 1938).

Destaques para mais e para menos

  • A Copa do Mundo de Futebol Femino 2019 teve 146 gols marcados em 52 jogos, igualando a melhor marca, que havia sido alcançada em 2015.
  • Foram 4 hat-tricks (quando um mesmo jogador marca ao menos três vezes em uma mesma partida) anotados. Cristiane (BRA), Alex Morgan (EUA), Sam Kerr (AUS) e Cristiana Girelli (ITA) foram as atletas que alcançaram a marca.
  • Tivemos três artilheiras ao término da Copa do Mundo de Futebol Feminino 2019. Alex Morgan e Megan Rapinoe dos Estados Unidos e Ellen White da Inglaterra, marcaram seis gols cada.
  • Sherida Spitse, meio-campista clássica da Holanda, foi a “garçonete” do Mundial. Ela deu quatro assistências para gols da sua seleção.
  • A seleção dos Estados Unidos subiu ao pódio no final de todas as oito Copas do Mundo de Futebol Feminino, quatro vezes como campeã (1991, 1999, 2015 e 2019).
  • Todas as seleções puderam comemorar gol a seu favor pelo menos uma vez. Porém, nenhuma atleta da Nova Zelândia marcou gol na Copa do Mundo de Futebol Feminino 2019. O único gol a favor da Nova Zelândia foi contra.
  • Foram apenas seis empates ao longo dos 52 jogos. Com três terminando sem gols.
  • Foram 25 penalidades máximas marcadas, algumas só com o auxílio do VAR (árbitro de vídeo). Dessas, oito foram desperdiçadas (o que gera um aproveitamento de aproximadamente 70%). Algumas com belíssimas defesas por parte das goleiras.
  • Tivemos ainda 124 cartões amarelos e 4 cartões vermelhos. A seleção que mais recebeu punições foi a brasileira, 11 cartões amarelos.

Momentos históricos

A Copa do Mundo de Futebol Feminino 2019 na França será eternamente lembrada. Ela mostrou um novo mundo para o futebol feminino. Tivemos recordes na venda de ingressos antecipados, estádios lotados e milhares de pessoas ao redor do Mundo acompanhando pela TV.

Foto: Richard Heathcote/Getty Images

O jogo derradeiro para a seleção brasileira, a partida de oitavas de final contra as donas da casa, teve mais de 50 milhões de brasileiros assistindo pela TV em nosso território nacional. Teve emissora alcançando a melhor marca em um jogo de futebol, desde a Copa do Mundo de Futebol Masculino no ano passado (2018).

E quem viu, pode ver a história sendo escrita. Marta marcou duas vezes na edição francesa do Mundial, chegou a 17 gols na história das Copas e agora é a pessoa que mais balançou as redes na história do futebol quando se trata de Copa do Mundo.

Foto: Getty Images

A nossa rainha com esses gols alcançou outro feito, que dividiu depois com Christine Sinclair do Canadá. Ambas são as únicas pessoas da história do futebol a marcar ao menos um gol em cinco Copas do Mundo diferentes.

Esta foi a oitava edição de um Copa do Mundo de Futebol Feminino, e a atleta brasileira Formiga jogou a sua sétima edição. Aos 41 anos foi a mulher mais velha a disputar uma partida de Copa do Mundo e é a única pessoa no Mundo com esse número de participações.

Foto: CBF

Vinte e cinco anos, foi esse o tempo que a torcida sueca precisou esperar para comemorar uma vitória em jogos oficiais contra a Alemanha. Mas ela veio, 2×1 de virada, na fase quartas de final. Nesta mesma etapa da Copa do Mundo de Futebol Feminino 2019, a inglesa Jill Scott marcou contra a Noruega para abrir o placar do jogo. Detalhe que ela fez isso com apenas 2 minutos e 6 segundos de bola rolando, estipulando assim um novo recorde de gol mais rápido da história das Copas do Mundo de Futebol Feminino.

As meninas fizeram muito bonito em 2019, tanto dentro, como fora de campo também. Diversas atletas demonstrando sua luta contra o preconceito, sua insatisfação com a não-valorização do futebol feminino. Megan Rapinoe, Marta, Alex Morgan, Wendie Renard, entre outras grandes jogadoras que só querem ter a visibilidade, o respeito e o retorno que merecem por suas carreiras brilhantes e ótima qualidade com a bola no pé. Futebol também é para mulher!

Leia mais: Tetracampeã! Estados Unidos vencem a Holanda e conquistam a Copa do Mundo de Futebol Feminino 2019

Craques dentro e fora de campo, elas lutam pela igualdade que merecem