Operação antidoping europeia se torna a maior da história ao prender 234 pessoas

Foram apreendidas ainda cerca de 3,8 milhões de susbtâncias dopantes e 24 toneladas de esteroides em pó

Mário Henrique de Oliveira
Colaborador do Torcedores

Crédito: Divulgação

A polícia italiana divulgou nesta segunda-feira o resultado do que se tornou a maior operação antidoping da história mundial. A intervenção contou com a participação de agentes de 33 países e foi conduzida em parceria com a Europol, o Serviço Europeu de Polícia. Entre os números impressionantes, chama a atenção a prisão de 234 pessoas.

De acordo com o balanço divulgado, essas prisões acabaram por desmantelar 17 organizações criminosas. Também foram apreendidas cerca de 3,8 milhões de substâncias dopantes, entre as quais 24 toneladas de esteroides em pó.

“Gostaríamos de parabenizar todos os Estados membros e outras organizações que contribuíram para essa operação ser bem-sucedida. Esse é o tipo de colaboração multipartidária que produz resultados reais e pode ter um impacto significativo na disponibilidade de medicamentos falsificados e ilegais usados ​​por atletas em todo o mundo”, disse Gunter Young, diretor de Inteligência e Investigações da Wada, a agência mundial antidoping.

Operação Viribus

A grande operação recebeu o nome de Viribus e conseguiu fechar nove laboratórios clandestinos onde eram produzidas substâncias dopantes. Como resultado, 839 processos judiciais foram instaurados.

Além das apreensões e prisões, a Operação Viribus realizou 1.357 exames antidoping, sangue e urina, durante eventos esportivos. A Europol explicou em comunicado, como funciona o esquema criminoso.

“Com algumas diretrizes disponíveis na internet, os criminosos não precisam de habilidades químicas para produzir substâncias de doping extremamente tóxicas e medicamentos falsificados. Normalmente, grupos do crime organizado administram esses laboratórios e vendem o material ilegal no mercado negro. Os indivíduos também podem operar laboratórios menores. As substâncias dopantes produzidas são vendidas online ou em academias locais, centros esportivos, lojas de rua ilegais e mercados locais”.

Leia Mais:

Conmebol notifica Athletico Paranaense após Thiago Heleno e Camacho serem flagrados no antidoping