Rapinoe brilha em discurso na festa do título dos EUA em Nova York

Megan Rapinoe foi eleita a melhor jogadora da Copa do Mundo feminina, mas a capitã norte-americana não obteve destaque apenas dentro de campo: foi porta-voz das mulheres em busca igualdade de gênero

Andressa Fischer
Gaúcha, 21 anos. Vôlei | Futebol Gaúcho | Flamengo

Foto: Getty Images

No início desse ano, todas as jogadoras convocadas por Jill Ellis para a Copa da França entraram com um processo contra a USA Soccer, alegando discriminação institucionalizada de gênero. Líder do elenco dos EUA, Rapinoe se envolveu em uma polêmica com Donald Trump durante a competição, por não cantar o hino nacional e não concordar com a Casa Branca em caso de título.

CONMEBOL Sul-Americana, Serie A Italiana, Ligue 1 Francesa, além de acompanhar também as emoções da Série C do Brasileirão e muito mais, em HD e em diversos dispositivos. Acompanhe tudo pelo DAZN por R$ 37,90 por mês após os primeiros 30 dias grátis.

O presidente norte-americano chegou a responder a jogadora no Twitter, dizendo que primeiro ela tinha que ser campeã para depois poder confrontar a autoridade máxima. E não só conquistou o título, como foi a Bola de Ouro, e a artilheira do torneio – com seis gols.

E nesta quarta-feira (10), a atacante estadunidense foi ovacionada por centenas de pessoas na festa do título em Nova York, após fazer um discurso inspirador.

Veja abaixo o discurso de Rapinoe na íntegra:

“E aí, cidade de Nova York? Eu vejo todo mundo aqui na frente, mas vocês aí atrás também. Alô para geral aí atrás!

Isso é loucura. Absolutamente insano. Perdi todas as palavras… mas vou encontrá-las, não se preocupem. Ridículo. Primeiro de tudo, minhas companheiras de equipe. Vamos aplaudir, por favor. Todo mundo. Esse grupo é tão resiliente, tão duro, é engraçado, e é tão fod*. Nada pode abalar esse grupo, estamos de boa, estamos tomando um cházinho. Temos comemorações, temos cabelo roxo, cabelo rosa. Temos tatuagens, dreadlocks. Meninas brancas, meninas negras e tudo que há no meio! Meninas hétero, meninas gays.

Eu não poderia estar mais orgulhosa por ser co-capitã com a Carly (Lloyd) e a Alex (Morgan). É uma honra absurda liderar o time no campo. Não existe outro lugar onde eu preferiria estar, nem na corrida presidencial. Estou ocupada, me perdoem.

Para a comissão técnica, o departamento médico, a galera do apoio, os massagistas, cinegrafistas, os cozinheiros… “Chef T, qual é a boa?” Para os seguranças, a galera da comunicação. Muitíssimo obrigada, vocês tornam nosso trabalho tão fácil. Não temos que nos preocupar com nada além daquilo que temos que fazer no campo de futebol. Obrigada por isso.

Obrigada à Federação. Carlos (Cordeiro, presidente), obrigada, você foi incrível nessa Copa do Mundo. Sei que você recebe algumas críticas quando está aqui, mas tem algumas músicas. Acho que isso é um sinal de carinho, né. Todo mundo recebe vaias, principalmente em uma posição de poder. Vou colocar o meu na reta aqui, vou apoiar o Carlos. Acho que ele está conosco, está no lado certo da coisa, vai fazer as coisas darem certo. Ele está provando, desde o primeiro dia conosco, que está mesmo com a gente. Ele esteve conosco em todos os dias da Copa do Mundo.

Não apenas estar lá, e isso significa muito para a gente. Mas para quem olha de fora, esse homem estava lá. Ele estava no túnel em todos os jogos, comemorando conosco em todos os jogos. Nós agradecemos isso, obrigada. Estamos ansiosas em manter esses pés no fogo.

Para o prefeito, (de Nova York, Bill) de Blasio, essa é a nossa segunda vez. Você e a sua linda esposa, obrigada por nos ter aqui. O governador Andrew Cuomo, é assim que pronuncia? Obrigada por nos ter aqui. À polícia, aos bombeiros, a todos que fizeram isso acontecer, obrigada. É impossível fazer isso sem o apoio de todos. Nós agradecemos muito a tudo que é preciso para fechar a maior e melhor cidade do mundo… para o maior e melhor time do mundo. Obrigada, isso significa o mundo para nós.

Acho que vou finalizar com o seguinte. Essa é a minha mensagem para todos vocês. Nós temos que ser melhores. Temos que amar mais e odiar menos. Ouvir mais e falar menos. Temos que saber que isso é responsabilidade de todo mundo. Todo mundo mesmo, todo mundo que está aqui e que não está aqui, ou que não quer estar aqui. Que concorda e que não concorda.

A responsabilidade de fazer esse mundo um lugar melhor é nossa. Acho que esse time faz um trabalho incrível em levar isso nos nossos ombros. Nós entendemos que na posição que estamos, e a plataforma que temos… sim, nós jogamos esportes, nós jogamos futebol, somos atletas mulheres. Mas somos muito mais que isso.

Vocês são mais que isso. Vocês são mais que fãs. Vocês são mais que pessoas que apenas torcem para times esportivos. Vocês são mais que alguém que só liga a TV de quatro em quatro anos. Vocês são as pessoas que andam nessas ruas todos os dias. Vocês interagem com a comunidade todo santo dia.

Como vocês tornam a comunidade melhor? Como tornam melhores as pessoas ao seu redor? Sua família? Seus melhores amigos? As 10 pessoas mais próximas a você? As 20? As 100 pessoas mais próximas a você. É responsabilidade de cada pessoa. Tivemos muitas discussões nos últimos anos. Eu fui uma vítima disso, fui uma autora disso. Na briga com a Federação… desculpa por algumas das coisas que eu disse. Não todas. Mas é hora de nos juntarmos.

Essa conversa já tomou o próximo passo. Temos que colaborar, e precisamos de todos. Essa é a responsabilidade que passo para todos vocês. Façam o que puderem. Façam o que tiverem que fazer. Pise fora de si mesmo. Seja mais, seja melhor, seja maior do que você jamais foi. Se esse time é alguma representação do que você pode ser, quando você fizer isso, tome isso como um exemplo. Esse grupo é incrível. Nós levamos tantas coisas nos ombros para estar aqui hoje, para comemorar com vocês aqui e hoje.

E fizemos isso com um sorriso no rosto. Façam o mesmo por nós, por favor, eu peço. Cidade de Nova York, vocês são os melhores!”

LEIA MAIS

Alex Morgan dispara contra críticas à sua comemoração: “há um duplo padrão para mulheres no esporte”

Torcedores norte-americanos apoiam jogadoras dos EUA em busca de igualdade salarial no país