Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Resumão da Copa do Mundo de Futebol Feminino: veja tudo o que aconteceu nas semifinais

As quatro melhores seleções do Mundo se enfrentaram nas semifinais e definiram: Estados Unidos e Holanda farão a grande final da Copa do Mundo de Futebol Feminino.

Lucas Calegari
Colaborador do Torcedores

Crédito: Foto: Robert Cianflone/Getty Images

A cidade de Lyon é uma privilegiada, recebeu as duas semifinais e ainda receberá a grande decisão. Estados Unidos e Holanda fizeram bons jogos e disputam o título mundial no próximo domingo (07) em final inédita.

 

Inglaterra 1 x 2 Estados Unidos

O melhor jogo das semifinais e da Copa do Mundo de Futebol Feminino até aqui. Aliás, essa tem sido uma constante neste Mundial, a cada fase, a cada dia que se passa, partidas ainda melhores. Já está cravado na história sem dúvida alguma.

Americanas e inglesas jogaram o fino da bola, do início ao fim. Foi difícil até ter tempo durante o jogo para os torcedores que acompanhavam o embate fazer coisas básicas como respirar e piscar.

Os Estados Unidos, como tem sido de sua prática nesta Copa do Mundo de Futebol Feminino, marcou seu primeiro gol antes dos 15 minutos de jogo. Christen Press, que havia sido uma surpresa ao ser escalada como titular no lugar da grande estrela Megan Rapinoe (que sentiu desconforto muscular e não jogou), mandou um balaço de cabeça, sem chances para a goleira inglesa.

Mas a Inglaterra tem Ellen White, inspiradíssima a artilheira aproveitou cochilo da marcação e aproveitou cruzamento de Bethany Mead, para empatar a partida aos 19 minutos.

Foto: Getty Images

Artilheira de um lado, artilheira do outro. A partida seguia bem parelha, com ambas equipes buscando sempre ao gol, era bonito de se ver. E aos 31 minutos, Alex Morgan, a craque norte-americana que estava meio sumida desde a estreia da sua seleção neste Mundial, aparece e coloca novamente as atuais campeãs na frente.

Foto: Richard Heathcote/Getty Images

O gol deu um certo baque na Inglaterra, melhor defesa isolada da competição até começar a partida. Pela primeira vez sofria dois gols em um mesmo jogo.

Após o intervalo as inglesas voltaram melhores, voltaram para o duelo. Mas com muita frieza e experiência, as americanas mostravam por que caminhavam para a sua quinta final de Copa do Mundo de Futebol Feminino.

O tempo foi passando, as chances até surgiam, mas o placar não mudava. Até que aos 38 minutos… pênalti para a Inglaterra, era a hora. E na melhor chance de empate das leoas da rainha, a experiente zagueira Stephanie Houghton bateu e a goleira americana Naeher fez uma excelente defesa.

Festa americana, que segurou os minutos finais, e ainda viu Ellen White marcar novamente. Mas depois o VAR (árbitro de vídeo) anulou corretamente, marcando impedimento.

 

Holanda 0 (1) x (0) 0 Suécia

Holandesas e suecas fizeram um jogo bem ruim na primeira etapa. Talvez Inglaterra e Estados Unidos tenha sido um jogo tão bom, que subiu demais o sarrafo de nível da Copa do Mundo de Futebol Feminino, deixando ele “inalcançável”.

O jogo num geral foi de muito estudo, muita marcação, pouco espaço e pouca ousadia. Quem não viu a primeira etapa não perdeu nada. E a torcida que fazia uma linda festa em Lyon, teve que se contentar com pouco.

Fotos: Getty Images

No segundo tempo as equipes começaram a se soltar e o jogo, no tranco, pegou. A Suécia cresceu primeiro e teve pelo menos umas três chances de abrir o placar. Pecava na finalização, e quando acertava tinha uma goleira holandesa inspirada. Veenendaal fez uma defesa linda, com a pontinha dos dedos, a bola ainda bate na trave e saiu. Salvou a Holanda!

Minutos depois foi a vez da outra goleira brilhar. Lindahl fez do mesmo jeito, tocou com a pontinha dos dedos na bola, para ela bater no travessão e não entrar, após forte cabeçada holandesa.

O jogo havia melhorado bastante, mas a sobreposição das defesas e o brilho das arqueiras, levaram a disputa para a prorrogação.

No tempo extra as atuais campeãs da Europa se impuseram. Contaram com um pouco de sorte também e chegaram ao seu sonhado gol. Logo após a zagueira sueca Sembrant tentar cortar um passe e jogar a bola nos pés de Jackie Groenen. Que mesmo de fora da área ajeitou e mandou uma bomba, na bochecha da rede, indefensável.

Foto: Richard Heathcote/Getty Images

Gol da Holanda, gol da inexperiente em semifinais de Copa do Mundo de Futebol Feminino e que mesmo assim já conseguia vaga na final do torneio.

A seleção da Suécia ainda foi para o abafa, até tentou, mas não deu em nada. Vitória da Holanda, 1×0 na prorrogação.

 

Curiosidades e destaques

  • A seleção norte-americana chega a sua terceira final consecutiva (2011, 2015, 2019) e iguala o recorde de finais seguidas de Brasil (1994, 1998, 2002) e Alemanha (1982, 1986, 1990), que alcançaram este feito na modalidade masculina.
  • A semifinal entre Holanda e Suécia foi a primeira na história da Copa do Mundo de Futebol Feminino a terminar empatada e consecutivamente a ir para a prorrogação.
  • Christen Press se tornou a nona jogadora diferente do elenco americano a marcar neste Mundial. A Holanda não fica muito atrás e oito jogadoras diferentes já anotaram tentos.
  • Na semifinal contra os Estados Unidos a Inglaterra perdeu sua terceira cobrança de pênalti neste Mundial. Deficiência da equipe.
  • A seleção de futebol feminino da Holanda que irá fazer sua estreia em uma final de Copa do Mundo, pode até já superar a seleção de futebol masculino, que nunca ganhou. Acumula três vices (1974, 1978, 2010).
  • Todas as duas partidas que a Suécia nao marcou pelo menos um gol, ela perdeu. Justamente para as duas finalistas, Estados Unidos na fase de grupos e Holanda na semifinal.
  • A briga pela artilharia ganhou novos capítulos com essas semifinais, agora Ellen White (ING) e Alex Morgan (EUA) dividem o posto de goleadora com seis gols cada. Megan Rapinoe (EUA) corre por fora com cinco bolas na rede.
  • As duas partidas de semifinais foram as duas com maiores públicos até agora nesta edição da Copa do Mundo de Futebol Feminino.

 

E agora Copa do Mundo de Futebol Feminino?

Agora falta uma partida de uma longa/curta caminhada. Estados Unidos e Holanda a um passo do paraíso. A grande final do Mundial 2019 acontecerá no próximo domingo (07) às 12:00 (horário de Brasília). Haverá transmissão AO VIVO de TV aberta (Globo e Band) e TV fechada (Sportv). É para ninguém perder esse grande duelo!

Inglaterra e Suécia jogam um dia antes, no sábado (06) às 12:00 (horário de Brasília), para decidir quem fica com o terceiro lugar.

 

Leia mais: Clubes brasileiros destinam menos de 1% do orçamento para o futebol feminino; veja quanto cada um investe