Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Relembre o primeiro título brasileiro do Bahia, a Taça Brasil de 1959

A conquista do time baiano, também conhecido como esquadrão de aço, foi a primeira em âmbito nacional

Cleverton Silva
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Reprodução/Esporte Clube Bahia

O Brasil precisava de um torneio para definir os participantes do país na primeira edição da Copa Libertadores. Com isso, foi criada a Taça Brasil. Conheça a história da primeira temporada do torneio que mais tarde seria reconhecido oficialmente como Campeonato Brasileiro.

Na competição, classificaram-se apenas os campeões estaduais. As equipes foram divididas em grupos: ABC – RN, Bahia, Ceará e CSA no Grupo Nordeste; Ferroviário – MA, Tuna Luso – PA, Sport e Auto Esporte – PB no Grupo Norte; Grêmio, Athletico Paranaense, Hercílio Luz – SC no Grupo Sul; Rio Branco – ES, Manufatora – RJ e Atlético Mineiro no Grupo Leste. Santos (campeão paulista) e Vasco (campeão carioca) entraram somente na fase final, por serem os campeões dos estaduais mais fortes à época.

Fase de Grupos

Em esquema de semifinais, o Bahia pegou o CSA, vencendo por 5×0 em Maceió, gols de Alencar (2x), Ari, Carioca e Léo. Em Salvador, o tricolor foi novamente vitorioso, 2×0 com gols de Marito e Léo.

Na decisão do grupo Nordeste, foi a vez do tricolor de aço enfrentar o Ceará, que havia eliminado o ABC. Em Fortaleza, empate em 0x0. Em Salvador, novo empate em 2×2 (Léo e Claudinho – contra – para o Bahia; Neném e Valter Vieira para os cearenses). Foi necessário um terceiro jogo. Pela melhor campanha ter sido do Bahia, a decisão foi disputada em Salvador. Vitória do tricolor por 2×1, tentos marcados por Biriba e Léo para o tricolor, Doca fez para os alvinegros. Passagem dos baianos para as quartas de finais carimbada.

O Sport passou pelo grupo Norte, o Grêmio passou pelo grupo Sul e o Atlético Mineiro passou pelo grupo Leste.

Quartas de Final

Nas quartas de final, o chaveamento foi o seguinte: Bahia x Sport e Atlético Mineiro x Grêmio. O vencedor do primeiro confronto pegaria nas semifinais o campeão carioca de 1958. O vencedor do segundo confronto pegaria o campeão paulista de 1958.

Bahia e Sport então, se enfrentaram, o jogo de ida foi na Fonte Nova. O tricolor venceu por 3×2 (Biriba, Marito e Ari marcaram para o Bahia. Osvaldo e Traçaia fizeram os gols rubro-negros). No jogo de volta, na Ilha do Retiro, o Sport aplicou uma goleada de 6×0 – os tentos do Leão da Ilha foram marcados por Osvaldo (3x), Betancor, Traçaia e Bé. Como cada equipe venceu uma partida, foi necessário um jogo extra, novamente na Ilha do Retiro. Mas dessa vez foi diferente. Os baianos bateram os pernambucanos por 2×0, gols de Biriba e Léo. Sendo assim, o Bahia avançou para as semifinais.

Semifinal

O Tricolor de Aço enfrentou o Vasco da Gama, campeão carioca, e que apenas naquele momento havia entrado na competição. A grande estrela do Vasco era o zagueiro Belini, que havia erguido a taça de campeão do mundo como capitão da Seleção em 58.

A primeira partida foi disputada no Estádio do Maracanã. E o tricolor venceu em terras cariocas por 1×0, gol de Alencar. Já a partida de volta foi na Fonte Nova, e o Vasco venceu por 2×1. Os gols do cruzmaltino foram de Roberto Pinto e Delém. Ari marcou o tento baiano.

Com o resultado, novamente, era necessário um jogo extra. Em solo baiano, o triunfo dos donos da casa veio: Bahia 1 x 0 Vasco, gol de Léo. O tricolor de Aço estava na decisão.

Finais

O Bahia enfrentou uma das equipes históricas do futebol mundial: o Santos de Pelé, que entre 1961 e 1968 viria a enfileirar seis títulos brasileiros, dois títulos da Libertadores e dois títulos mundiais. A equipe do litoral paulista havia eliminado o Grêmio na semifinal. Era claramente favorito ao título nacional.

A primeira partida foi disputada na Vila Belmiro. o Santos saiu na frente com gol de Pelé aos 15 minutos do primeiro tempo, 1×0. Biriba, aos 26 empatou para o Bahia, 1×1. Alencar virou para o Bahia aos 12 minutos do segundo tempo, 2×1. Pepe empatou para o Santos, 2×2. Alencar, aos 44 minutos do segundo tempo, deu a vitória ao Tricolor de Aço: 3×2 na Vila Belmiro.

O Segundo jogo aconteceu na Fonte Nova. O Santos precisava vencer para se manter vivo na decisão. E foi o que aconteceu. Coutinho aos 7 minutos e Pelé aos 28 minutos do primeiro tempo conseguiram bater o Bahia em plena fonte nova: 2×0 para os paulistas

Mais uma vez, foi necessário um jogo extra, realizado em um campo neutro: o Estádio do Maracanã. Por conta de uma excursão do Santos, a partida só foi realizada em março de 1960. E com uma alteração no comando técnico baiano: sai Geninho, entra o argentino Carlos Volante. Do lado do Santos, Pelé, a maior estrela do futebol estava de fora da decisão por lesão.

A finalíssima

O Peixe saiu na frente com gol de Coutinho aos 27 do primeiro tempo: 1×0. Vicente empatou aos 37 minutos em cobrança de falta: 1×1. Léo virou para o tricolor no comecinho do segundo tempo: 2×1 Bahia. Os santistas perderam a cabeça e tiveram os defensores Getúlio e Formiga expulsos, o que abriu o caminho para a vitória do Bahia. Alencar, aos 31 do segundo tempo, deu números finais: Bahia 3 x 1 Santos. Do lado santista, tiveram ainda mais duas expulsões: Coutinho e Dorval. Vicente, do Bahia, também recebeu o cartão vermelho. Mas não tinha jeito, o primeiro título brasileiro era do Esporte Clube Bahia. Além disso, o Tricolor de Aço foi o primeiro representante brasileiro na Copa Libertadores da América. Outro fato importante: o atacante Léo, do Bahia, foi o artilheiro do torneio com oito gols.

A unificação dos títulos brasileiros conquistados entre 1959 e 1970 foi oficializado em 2010 pela CBF.

LEIA MAIS:

Bahia no Brasileirão 2019 tem o melhor início de campanha na era dos pontos corridos

Veja onde estão os campeões da Taça Brasil de 1966 pelo Cruzeiro