Autópsia em Emiliano Sala revela possível causa de acidente aéreo que o matou

Exames apontaram que atacante apresentava altos índices de monóxido de carbono no corpo

Luiz Felipe Longo
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Divulgação / Cardiff City

A autópsia de Emiliano Sala, falecido em acidente aéreo no Canal da Mancha, em janeiro, revelou altos índices de monóxido de carbono no corpo do jogador. As informações são do jornal inglês “The Guardian“.

De acordo com a publicação, o atacante e o piloto, David Ibbotson, podem ter sido envenenados pelo gás. Ele é considerado como potencialmente fatal, podendo causar tontura, convulsões ou ataque cardíaco.

O advogado da família de Emiliano Sala, Daniel Machover, afirmou que os parentes querem que o avião passe por um rigoroso processo de perícia afim de descobrir como o monóxido de carbono entrou na cabine.

É sabido que o monóxido de carbono é produzido no motor do avião. Entretanto, ele deve ser extraído pelo sistema de exaustão. Entretanto, um vazamento poderia afetar esse mecanismo. Não há conclusão do que houve com o atacante.

Inspetores da AAIB (Agência de Investigação de Acidentes Aéreos, em inglês) revelaram que o cockpit da aeronave não se separou da cabine. Ou seja, não somente Emiliano Sala, como também o piloto Davi Ibbotson pode ter sido afetado pelo gás.

O atacante argentino vinha em momento de ascensão na carreira. Após se destacar pelo Nantes, da França, estava de malas prontas para o Cardiff, onde teria a chance de disputar a Premier League.

LEIA MAIS
MORTE DE EMILIANO SALA: HOMEM DE 64 ANOS É DETIDO POR HOMICÍDIO CULPOSO

ATACANTE CRITICOU NEGOCIAÇÃO COM O CARDIFF POR MENSAGEM: “NÃO É INTERESSANTE PARA MIM”