Brasileiros brilham no Rip Curl Guarujá Open de Surf 2019

Evento de surfe reuniu grandes nomes do surfe nacional nas águas do Guarujá

Aline Taveira
Colaborador do Torcedores

Crédito: @fabiomaradei / @fmanoticias

O evento teve início em grande estilo, com um mar com ondas de até 2 metros, num “pico” que não recebia eventos de porte há mais de quatro décadas e, claro, disputas de altíssimo nível técnico. Foram três dias de competição, na Praia de Pitangueiras, junto ao Edifício Sobre as Ondas, reunindo 200 atletas.

Neste domingo (11), foram oito finais na água, com destaque para a vitória de Gabriel André, na categoria pro-am. O surfista de 22 anos, que já foi supercampeão do Circuito em 2011, voltou a vencer “em casa”.

Outro primeiro lugar muito comemorado no Rip Curl Guarujá Open de Surf 2019 foi de Samuel Alves, mais um talento local, faturando a categoria júnior (sub18),

Na feminina, quem levou a melhor foi Louisie Frumento. Já entre os mais experientes, dois ícones da Cidade ergueram os troféus: Jojo de Olivença, na Legends (45+) e Gilmar Silva, na master (35+).

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!

Três outras conquistas ficaram com atletas de São Sebastião. Um deles, velho conhecido no Circuito, Carlos Bahia, na longboard, os pranchões. Na mirim (sub16), Gabriel Dias foi o vencedor e na stand up paddle (SUP) surf, Wellington Reis, superou o favorito Luiz Diniz, bicampeão mundial da categoria. Nas oito finais, dois atletas chegaram em duas finais. Gabriel Dias também foi o quarto na júnior e Sérgio Luan, também de São Sebastião, foi o segundo na sub18 e o quarto na pro-am.

Outras quatro categorias do Rip Curl Guarujá Open de Surf 2019 já tinham definido os seus campeões no primeiro dia de disputas. Ryan Araújo na iniciante (sub14), Murillo Coura, também de São Sebastião, na estreante (sub12), Kalani Robles, de Ubatuba, na petit (sub10) e Vini Palma, de Praia Grande, entre os caçulas da sub8. O evento também contou com a Surf Trip Air Show, no sábado, com Wanderson da Silva, faturando os R$ 200,00 de prêmio pelo melhor aéreo. O mesmo Wanderson também chegou até a final da pro-am, ficando na terceira posição.

Leia mais: Local Matahi Drollet substitui Mikey Wright no Tahiti Pro

Yago Dora é o campeão do QS 10000 Vans US Open

WSL define as baterias da primeira fase do Tahiti Pro