Justiça bloqueia mais de R$ 80 mil de Romário para que ex-jogador quite processo perdido contra Dunga

Senador foi processado por ex-volante em virtude de uma declaração proferida no ano de 2015, ao jornal italiano Gazzetta Dello Sport

Octávio Almeida Jr
Jornalista graduado pela Universidade da Amazônia (UNAMA), 26 anos.Repórter de campo pela Rádio Unama FM em duas finais de Campeonato Paraense (anos 2016 e 2017).

Crédito: Reprodução

Tetracampeão mundial pela seleção brasileira em 1994 e atual senador do Brasil, o ex-jogador Romário teve R$ 82,3 mil bloqueados pela justiça. Ele foi processado por Dunga e perdeu a ação por dano moral aberta pelo ex-volante. O bloqueio se justifica a fim de pagar as custas do processo. A informação é do site UOL.

“A justiça do Distrito Federal colocou em juízo esse valor retirado da conta de Romário”, publica o veículo. De acordo com o portal de notícias, a defesa de Romario já recorreu da decisão “contestando o bloqueio”.

A desavença entre eles começou em 2015. Em entrevista concedida ao jornal Gazzetta Dello Sport, Romário afirmou que havia “interesses por trás” nas convocações de Dunga, técnico da seleção brasileira naquela época.

“Dunga é meu amigo, mas não é sua hora. Não se convoca mais os melhores, há interesses por trás”, disparou”.

“Você viu a convocação? Todos pertencem aos empresários que lucram com convocações. É evidente para todos”, completou Romário.

Processado por outro ex-companheiro

Além de Dunga, o ex-goleiro Gilmar Rinaldi também processou Romário, em virtude da declaração, segundo o UOL. Na época, Rinaldi trabalhava como coordenador de seleções da CBF.

“Romário também entrou com ação contra Rinaldi por dano moral: R$ 500 mil. A Justiça rejeitou o pedido e fixou em 10% o valor dos honorários”, prossegue.

“A defesa do senador recorreu em 2ª instância. A decisão foi mantida, mas as custas processuais foram reduzidas para 1%. Cabe recurso”, finaliza o UOL.

Leia também:

Ronaldo cita mobilizações para negros e gays, mas diz: “ninguém me defendeu quando chamavam de gordo”