Mancini assume equipe da Série D italiana mesmo com protestos da torcida

Ex-jogador do Atlético-MG e da Roma foi anunciado como o novo treinador do Foggia; condenação de estupro pesa contra brasileiro

Luiz Ferreira
Produtor executivo da equipe de esportes da Rádio Nacional do Rio de Janeiro, jornalista e radialista formado pela ECO/UFRJ, operador de áudio, sonoplasta e grande amante de esportes, Rock and Roll e um belo papo de boteco.

Crédito: Bruno Cantini / Atlético-MG

Ex-jogador de Atlético-MG e Roma, Mancini foi anunciado como o novo técnico do Foggia, equipe que disputa a Série D do Campeonato Italiano. No entanto, a torcida do clube não gostou nada da contratação. De acordo com o site UOL, o principal motivo da rejeição ao nome do brasileiro seria uma condenação em primeiro grau por estupro em 2011.

O ex-meia de 39 anos foi condenado a dois anos e oito meses de prisão por lesão corporal e estupro de uma modelo brasileira que conheceu numa festa de Ronaldinho Gaúcho na época em que este jogava pelo Milan. Depois de ingerir bebidas alcoólicas, ela teria passado mal e pedido para ser levada até sua casa.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!

Durante o processo, a promotoria italiana entendeu que Mancini teria ido até o seu apartamento e violentado a modelo que estava inconsciente. Pessoas próximas ao jogador afirmaram que ele fora vítima de extorsão, mas o exame de corpo de delito comprovou todas as acusações.

Mancini obteve a licença da UEFA Pro Master e já está apto para treinar times em todas as categorias. De acordo com o jornal “La Gazetta dello Sport”, esse teria sido um dos motivos da escolha do brasileiro para treinar o Foggia. Mancini ganhou maior projeção quando atuou com a camisa da Roma marcando 59 gols em 222 partidas. Ainda na Itália, jogou pelo Venezia, Internazionale e Milan.

LEIA MAIS:

Mercado da Bola: Independiente anuncia Lucas Romero, ex-Cruzeiro

Mercado da Bola: Real Madrid faz última investida por Pogba, diz jornal