Náutico: Diógenes bate de frente com presidente da FPF sobre mando de campo

O presidente da FPF sugeriu que Náutico mandasse jogo contra o Santa na Arena. Diógenes rebate: “Quando você for pra lá torcer pro Santa, você vai entender”

Anderson Lima
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Reprodução: YouTube Oficial / Náutico

O vice-presidente do Náutico Diógenes Braga bateu de frente com Evandro Carvalho, presidente da Federação Pernambucana de Futebol (FPF). As declarações foram dadas no programa Fórum Esportivo, da Rádio Jornal, na noite desta segunda-feira (19).

Quer ver a Série C de graça e ao vivo por 1 mês? Conheça o DAZN Brasil!!

Evandro tinha dito que manter o mando de campo da última rodada da 1ª fase do Brasileirão Série C 2019 contra o rival Santa Cruz no Estádio dos Aflitos era uma “uma coisa efêmera, ilusionismo, paixão de torcedor” por parte da diretoria do Náutico. Uma ideia, ventilada dentre os pernambucanos nas redes sociais, era a possibilidade de se modificar o mando de campo para a Arena de Pernambuco. A justificativa do presidente da FPF para a mudança seria a possibilidade de geração de maior receita: “o dirigente tem o entendimento dos números, mas é preciso reconhecer que a decisão dele tem um peso político enorme”.

Entretanto, o Náutico nos últimos anos esteve se empenhando em desfazer o contrato com a Arena de Pernambuco (realizada em 2013, como preparativo para a Copa das Confederações e a Copa do Mundo de 2014) e revitalizar seu estádio histórico, que é o Eládio de Barros Carvalho, os Aflitos. Foi reinaugurado em dezembro passado e desde então o Timbu tem mandado suas partidas lá.

O vice-presidente do Náutico, ao tomar conhecimento do conteúdo dito por Evandro, lamentou a declaração, também no tocante ao financeiro.

“[Eu e o presidente somos] Pessoas que lutaram tanto pra reformar o Estádio (…) e chegar num jogo decisivo mandar e tirar o mando dos Aflitos, [é] fora de questão (…) não tem o menor sentido”, disse Diógenes. O vice-presidente alvirrubro também rebateu sobre os ganhos na partida: “Se não fôssemos cientes da realidade financeira, eu e o presidente não teríamos feito nada do que fizemos e estamos fazendo no Náutico. Optamos por jogar nos Aflitos, pois lutamos tanto para criar esse elo entre torcida, estádio e time, que tirar o jogo chegando perto do mata-mata seria um erro. Futebol não é só dinheiro. Existe muito mais coisa em volta. Se esse jogo passaria uma receita de 500, 600 mil reais, a Série B ano que vem pode gerar 10 milhões [de reais]”.

Sobrou também para a preferência de Evandro Carvalho, que disse que iria torcer para o Santa Cruz, a fim de que mais times pernambucanos subam para a Série B em 2020. Diógenes também não deixou por menos, mostrando que ele – como presidente da Federação Estadual – não tem acompanhado o Timbu: “Evandro, esses jogos finais (…) [do Náutico] da Série C lá nos Aflitos, você esteve em algum deles?”. “Não”, respondeu o presidente da FPF. Em seguida, Diógenes arremata: “quando você estiver torcendo para o Santa Cruz, sábado, nos Aflitos, vai entender o porquê de decidirmos ficar nos Aflitos. (…) Só espero que a torcida dele fique na arquibancada e não vá para dentro de campo”.

Os áudios das declarações podem ser conferidos no portal do Grupo Jornal de Comunicação.

Náutico x Santa Cruz tem previsão de início às 17 horas deste sábado (24), pela 18ª rodada do Brasileirão Série C. O mandante está classificado à fase de mata-mata; o Tricolor do Arruda ainda depende de resultados para poder sonhar com o acesso.

LEIA MAIS:
Náutico x Santa Cruz: veja o histórico do jogo da última rodada da Série C
Série C 2019: saiba o que seu time precisa para ir à próxima fase