Torcedores do Bahia podem processar o Palmeiras, devido à falta de visibilidade no setor visitante; entenda

Em jogo válido pela 14º rodada do Brasileirão, o Bahia visitou o Palmeiras no último domingo (11), o palco do duelo foi o Allianz Parque

Tathiane Marques
Colaborador do Torcedores

Crédito: Reprodução/Twitter

Os visitantes que vem acompanhar os jogos de seus times contra o Palmeiras no Allianz Parque, costumeiramente reclamam da falta de visibilidade para assistir a partida por causa da rede de proteção que foi instalada no setor do estádio. E com os torcedores do Bahia não foi diferente, muitos relataram que não conseguiram acompanhar todos os lances por causa disso.

De acordo com o Palmeiras, a tela de proteção foi instalada devido a exigência feita por parte da Polícia Militar e inclusa no laudo de segurança do estádio, a medida seria para evitar que objetos sejam arremessados no campo ou no andar de baixo das arquibancadas.

O site UOL Esporte conversou com André Lessa, de 34 anos, um dos torcedores do Bahia presentes no Allianz Parque. Segundo relatado por ele, o ingresso para o setor visitante custou R$110. Diante do cenário que impossibilitava a visibilidade, os tricolores recorreram à Polícia Militar e a Ouvidoria local, mas não tiveram sucesso na tentativa de ressarcimento dos valores pagos.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!

“No primeiro tempo, não dava para ver absolutamente nada. Você tinha que encostar a cara na tela para poder assistir. Inacreditável. Era surreal. Reclamamos com a Polícia, disseram que em todo jogo é assim… Eu levantei com um colega e falei: ‘Vamos pegar o dinheiro de volta e assistir num bar, porque desse jeito não dá’. E o ingresso foi R$ 110”.

Bahia Palmeiras

No entanto, André e outros torcedores, inclusive a Embaixada Tricolor em São Paulo estudam a possibilidade de abrir um processo contra o Palmeiras.

“A gente foi na Ouvidoria e disseram que a política deles é não devolver o ingresso, e que a rede é para evitar que se joguem objetos. E falaram um monte de mentira, que todo estádio de São Paulo é assim. Eu já fui ao Morumbi, ao Pacaembu, ao Itaquerão, e não tem nada disso. Trataram a gente com desdém. E eu só fui à Ouvidoria para ter uma prova para um processo. Eu me senti como um animal isolado, no zoológico. Sem ver nada e isolado. Foi o ingresso mais caro que eu já paguei para ter essa experiência como torcedor”, acrescentou.

Siga o Torcedores também no Instagram

Outro torcedor, Diego Tavares, de 37 anos, saiu da capital Salvador para São Paulo só para ver o Esquadrão entrar em campo. E disparou logo de início sobre a situação: foi a pior experiência que teve como torcedor do Bahia em estádios do Brasil.

“Foi uma péssima experiência. Eu, sempre que posso, costumo ir a alguns jogos do Bahia pelo país. E te digo seguramente que foi a pior experiência que tive em estádio. Nunca vi nada parecido em nenhum estádio do Brasil. A tela, juntamente com o sol, impossibilita a visão quase que 100% do campo. Alegaram que a tela foi colocada por segurança, para não jogarem objetivos na torcida embaixo. Mas ninguém é animal selvagem para ficar em tela. Aqui na Arena Fonte Nova mesmo, não tem tela, o Bahia disponibiliza segurança, através de policial, e isolando as primeiras cadeiras do setor. Simples assim”, acrescentou o torcedor, que ainda fez críticas à polícia de São Paulo”.

A polícia militar de São Paulo, também foi alvo de críticas: “Agora, se a PM de São Paulo não quer ter trabalho, aí prejudica o torcedor visitante, que paga caro… Isso tem que ser analisado”.

LEIA MAIS:

Lição de casa! Saiba quem são os melhores mandantes da temporada 2019 entre os times da Série A