Em protesto, torcida organizada do Cruzeiro oferece cachaça como ‘prêmio’ para saída de atletas

Bruno Romão
22 anos, estudante de Jornalismo, amante da escrita, natural de Campina Grande (PB) e um completo apaixonado por futebol. Contato: bruno.romao.nascimento@gmail.com

Crédito: Reprodução

Clima no Cruzeiro segue pesado, com novas manifestações tendo acontecido na Toca da Raposa

Nesta quarta-feira (11), membros da Máfia Azul estiveram no CT do time mineiro para protestar. Novamente com cânticos de ordem, faixas e pedidos que jogadores deixem o clube, até mesmo uma ”premiação” foi oferecida caso os alvos saíssem do time. Isso porque foram levadas garrafas de cachaça para o local, fazendo referência a vida extra-campo de alguns nomes do elenco.

”Thiago Neves, Edilson, Egídio, Robinho, Henrique, Pedro Rocha, Ariel Cabral e Jadson some do Cruzeiro junto com essa diretoria que está levando o time do Cruzeiro para as páginas policias. Prêmio para vocês: 11 garrafas de cachaça que está aqui. Pode pegar”, afirmava a faixa trazida,

Um dos poucos que foram poupados dos protestos foi Rogério Ceni. Os torcedores apoiaram o técnico, deixando claro que se o comandante optar por barrar os ”medalhões” não receberá críticas das arquibancadas. Outra faixa trazia a mensagem #FechadocomCeni

Futebol de graça e ao vivo por 1 mês? Conheça o DAZN Brasil!

Veja abaixo como foram os protestos.

A mesma Máfia Azul anunciou um disque-denúncia para ser usado para delatar os jogadores que estivessem ”farrando”. A mensagem dizia que os próprios integrantes da torcida organizada iriam ao local buscar os atletas que fossem denunciados.

Imagem

Reprodução

LEIA MAIS