Corinthians: Prefeitura aciona clube na Justiça cobrando R$ 28,4 milhões em IPTU, diz blog

Pendência do Timão é referente ao IPTU do Parque São Jorge entre 2014 e 2018

Cido Vieira
Jornalista em formação, e apaixonado por futebol desde criança. No Torcedores.com desde o ano de 2017, já acumulei diversas funções no site e atualmente me dedico a cobertura do futebol nordestino.

Crédito: Divulgação - Corinthians

De acordo com informações blog do Perrone, do UOL Esporte, no último dia 27 de setembro, a Prefeitura de São Paulo entrou com uma ação na Justiça contra o Corinthians para cobrar R$ 28.469.607,32 referentes ao IPTU (Imposto Sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana), com correções, que entende serem devidos pelo clube.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!

Nesta quarta (4), a Justiça determinou a citação do clube paulista para quitar a dívida em cinco dias ou oferecer bens para a execução de penhora. O Timão tem um prazo de trinta dias para apresentar a sua defesa. As cifras do IPTU correspondem ao imóvel na Avenida Condessa E. de Robiano, onde fica situado o Parque São Jorge.

Quem chega e quem sai dos clubes?

 

O blog do Perrone procurou o departamento de comunicação alvinegro, que enviou o seguinte comunicado:

“O Sport Club Corinthians Paulista informa que não foi citado. No entanto, a tempo e modo apresentará sua defesa”.

O Corinthians não é o único clube paulista que tem sido cobrado por dívidas de IPTU com a prefeitura, Palmeiras e São Paulo também possuem altos débitos. O município isenta as agremiações de pagamento, contudo, os clubes precisam pedir a isenção anualmente, e não podem ter o seu nome no Cadin (Cadastro Informativo Municipal), que registra dívidas não pagas com a prefeitura, como as relacionadas a impostos e multas. A sanção faz parte da Lei 14.094, de 2005.

Neste cenário, a prefeitura considera não ter permitido a isenção do Timão justamente pela inscrição do clube no Cadin.

Segundo apuração do blog, o Corinthians questiona parte do valor cobrado. O clube se queixa que ainda estaria contestando administrativamente a cobrança de imposto relativo a pelo menos dois desses exercícios. Diante disso, na concepção do Timão, não poderia haver a execução da ação.

LEIA MAIS: