Torcedores – Notícias Esportivas

Sheilla desabafa sobre saudade das gêmeas, mas quer ouro inédito na Copa do Mundo para o Brasil

O Brasil, de Sheilla, estreia na Copa do Mundo às 5h da madrugada dessa sexta para sábado (14), contra a Sérvia, que foi recentemente campeã europeia e foi ao Japão com uma equipe alternativa, sem as principais estrelas

Andressa Fischer
Gaúcha, 22 anos | Escrevo sobre vôlei, futebol feminino e dupla Gre-Nal.

Crédito: Foto: Divulgação/CBV

Após passar três anos sem jogar, Sheilla assinou com o Itambé Minas para jogar a temporada 2019/20 e aceitou a convocação de Zé Roberto para disputar a Copa do Mundo, e auxiliar no processo de renovação que o time verde e amarelo vem passando.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique aqui  se inscreva!

No final do ano passado, a bicampeã olímpica realizou o seu sonho de ser mãe, e deu a luz às gêmeas Liz e Ninna, fruto do casamento com Brenno Blassioli. Mas para voltar a defender a amarelinha, Sheilla teve que optar por deixar as filhas com a família em Belo Horizonte.

Nesta quinta (12), a minastenista compartilhou um desabafo com seus seguidores do Instagram sobre a saudade que sente das pequenas, e que completam um ano em meados de novembro.

Confira o desabafo de Sheilla:

“Estou há alguns dias pensando em escrever sobre como é difícil ficar longe das minhas meninas e como estou feliz de estar de volta ao vôlei. Como dói a saudade. Mas é difícil colocar em palavras, é tudo tão novo pra mim. Este amor inexplicável que só cresce a cada dia, e agora esta distância louca.

Distância que até pouco tempo não imaginava que teria tão cedo. Tem coisas na vida que não planejamos, mas acontecem… E sabe o que é mais louco de tudo, é que estou fazendo uma das coisas que mais amo na vida: jogar vôlei, defender meu país, esta rotina maluca de atleta.

E mesmo amando tudo isso, estou sofrendo muito de não poder estar com elas diariamente. De conversar, brincar, dar banho, colocar pra dormir, de fazer nada com elas. Acho que só sendo mãe pra ter esta ambiguidade de sentimentos.

Me sinto culpada por estar longe, sinto uma saudade inexplicável, vontade de chorar (as vezes choro), uma dor maior que qualquer dor física que já senti jogando e treinando, e ao mesmo tempo estou muito feliz de estar de volta, feliz por estar jogando vôlei novamente. Louco demais né?

E daqui a pouco (dia 14) começam os jogos aqui no Japão e vamos com tudo pra buscar mais uma medalha pro Brasil! Queria conseguir abraçar o mundo literalmente, estar aqui no Japão e estar tb no Brasil, mas isso é impossível né? Então cada coisa de uma vez, cada dia de uma vez e agora é a vez do vôlei e de ver minhas filhas no FaceTime, nos videozinhos e fotos. E ‘vamo que vamo’!”, escreveu na legenda da postagem.

View this post on Instagram

Estou há alguns dias pensando em escrever sobre como é difícil ficar longe das minhas meninas e como estou feliz de estar de volta ao vôlei. Como dói a saudade. Mas é difícil colocar em palavras, é tudo tão novo pra mim. Este amor inexplicável que só cresce a cada dia, e agora esta distância louca. Distância que até pouco tempo não imaginava que teria tão cedo. Tem coisas na vida que não planejamos, mas acontecem… E sabe o que é mais louco de tudo, é que estou fazendo uma das coisas que mais amo na vida: jogar vôlei, defender meu país, esta rotina maluca de atleta. E mesmo amando tudo isso, estou sofrendo muito de não poder estar com elas diariamente. De conversar, brincar, dar banho, colocar pra dormir, de fazer nada com elas. Acho que só sendo mãe pra ter esta ambiguidade de sentimentos. Me sinto culpada por estar longe, sinto uma saudade inexplicável, vontade de chorar (as vezes choro), uma dor maior que qualquer dor física que já senti jogando e treinando, e ao mesmo tempo estou muito feliz de estar de volta, feliz por estar jogando vôlei novamente. Louco demais né? E daqui a pouco (dia 14) começam os jogos aqui no Japão e vamos com tudo pra buscar mais uma medalha pro Brasil! Queria conseguir abraçar o mundo literalmente, estar aqui no Japão e estar tb no Brasil, mas isso é impossível né? Então cada coisa de uma vez, cada dia de uma vez e agora é a vez do vôlei e de ver minhas filhas no FaceTime, nos videozinhos e fotos. E “vamo que vamo”! #worldcupjapan2019 #copadomundo #selecao #selecaobrasileira #albumdalizeninna #sheillacastro

A post shared by Sheilla (@sheillacastro) on

LEIA MAIS

Wallace afirma que se arrepende de ’17’ no Mundial, e dispara contra o calendário apertado do vôlei: “cansa muito”