Miguel Pupo vence o Galicia Classic Surf Pro, em Pantin

O brasileiro Miguel Pupo vence o Galicia Classic Surf Pro, terceira etapa masculina do QS 2019 de nível 10.000 e dá um enorme passo para retornar à elite do surfe mundial

Aline Taveira
Colaborador do Torcedores

Crédito: Reprodução/Instagram

Neste domingo, Miguel Pupo faturou o Galicia Classic Surf Pro e deu um grande passo para retornar ao grupo de elite do surfe mundial. Outro brasileiro que conquistou um excelente resultado foi Jadson André, que parou na
semi, finalizando a prova na terceira posição.

Em ondas de 1 metro um pouco balançadas da praia espanhola de Pantin, Miguel soltou as manobras neste domingo e fez notas excelentes em todas as três baterias que disputou, com destaque para a final, contra o norte-americano Jake Marshall, quando anotou 8.50 e 8.37 para vencer pelo placar de 16.87 a 14.43 pontos.

Essa foi a terceira vitória brasileira em três eventos do QS de nível 10.000 disputados em 2019. Deivid Silva venceu em Ballito (AFR), Yago Dora em Huntington Beach (EUA) e hoje foi Miguel Pupo que colocou 10.000 pontos no ranking.

O trajeto até a final

Miguel passou de forma tranquila nas quartas por Nomme Mignot, que não conseguiu se achar em nenhum momento da disputa. Pra piorar a situação do francês, o brasileiro atacou uma esquerda com duas fortes batidas que valeram 8.17, a uma liderança folgada e a vitória.

Na seminal Miguel começou arrasador, com as notas 7.17 e 7.07, mas na sequência ele conseguiu ser ainda melhor e colocou 8.17 na média, com duas batidas e um aéreo reverse passando a rabeta acima do lip da esquerda. Mas Morgan Cibilic não desanimou, e, apesar de não ter começado tão forte quanto o brasileiro, dava sinais de que poderia mudar o jogo. Com duas fortes e rápidas batidas o australiano arrancou 7.87 dos juízes e passou a precisar de 7.48 pontos para vencer. E chegou perto. Miguel pegou uma onda e na de trás Morgan deu duas batidas, mas os 7.03 não foram sucientes para reverter o placar e o brasileiro foi pra nal.

Final

Na final, Miguel repetiu as boas atuações das baterias anteriores, tendo um início arrasador com uma rasgada, um snap e um aéreo reverse que valeram 8.50 pontos. Jake deu uma resposta com três batidas, sendo duas fortes, que deram a ele 7.60. Porém o brasileiro voltou a rasgar e a voar para colocar mais 8.37 na média, deixando o norte-americano na necessidade de 9.27 pontos.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!

“Eu só quero agradecer a Deus, pois foi uma semana difícil… alguns anos difíceis na verdade, mas estou feliz, com certeza. Quero agradecer a minha família, a minha esposa, minhas lhas, meu pai, que nesses anos difíceis me deram muita força. Eu parei de acreditar em mim mesmo há algum tempo e agora estou aqui de volta, graças a Deus. Obrigado!”, disse um emocionado Miguel, que não conseguiu conter as lágrimas durante a entrevista.

Com a vitória o paulista conquistou 10.000 pontos, chegou aos 17.900 e subiu para a terceira posição no ranking, dando um passo importante para o retorno à elite do surfe mundial.

Em terceiro

Jadson André passou pelo penúltimo dia do evento dando espetáculo de surfe, e chegou nas quartas de nais aparentando muita confiança. A disputa que abriu o dia foi morna até quando restavam cinco minutos para o fim. O brasileiro, que precisava de 6.21 para superar o australiano Matt Banting, usou a prioridade e executou cinco manobras pra marcar 8.67 e seguir para a semi.

No duelo que valia vaga na final, contra Jake Marshall, Jadson deu a largada voando alto pra marcar 7.17 pontos. Ele ficou muito ativo, mas assim como seu adversário, errava ou na escolha das ondas ou em manobras. O norte-americano, que chegou a precisar de quase uma nota 9, foi melhorando e diminuindo a diferença, até que achou uma esquerda mais aberta, bateu forte e assumiu a liderança, deixando o potiguar na necessidade de 6.81 pontos. O tempo foi passando e nos instantes nais veio outra boa esquerda, mas o norte-americano fez o uso da prioridade,
colocou mais 7.43 no somatório e avançou para a final.

Com o terceiro lugar na etapa, Jadson conquistou 6.500 pontos e agora está na liderança do ranking com 22.500.

Leia mais: Filipe Toledo fala sobre a disputa do ISA Games, no Japão

Jadson André e Miguel Pupo representam o Brasil no QS 10000 em Pantin

Brasileiros são maioria entre os finalistas no QS 1000 em Pantin