Trompetista nas horas vagas, pernambucano participa de evento de MMA na China

Michel Pânico mora em Xangai e irá enfrentar russo em evento neste final de semana

Victor Martins
Um homem que acredita ser jornalista, escritor e 'chato'. Decidam vocês qual será a opção escolhidaFormado na Universidade Metodista de São Paulo. No Torcedores desde 2016 ou algo pareciod.

Crédito: Divulgação

Não é novidade que muitos atletas de MMA brasileiros tem outros empregos além de se dedicar ao mundo das lutas. Michel Pânico, que fará luta neste sábado (7) na China, pelo Rebel FC, é um destes exemplos, mas seu ‘segundo trabalho’ além das lutas é um tanto diferente do usual.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!

O pernambucano é trompetista nas horas vagas, tendo aprendido o instrumento quando criança. Graças a dedicação à música, conseguiu bolsas de estudo em escolas e até mesmo o dinheiro para comprar suas primeiras luvas

“Tenho 27 anos e luto profissionalmente desde os 18, Mas antes disso, eu era músico. Toco trompete e leio partitura desde criança, graças ao meu pai que me ensinou. Eu tocava em alguns colégios para garantir bolsa de estudos e fazia bicos em bandas para ganhar um dinheiro extra. Para conseguir o meu primeiro par de luvas não foi fácil, comprei com o suor do meu trabalho. Nunca faltou comida em casa, graças a Deus, mas nunca tive vergonha de trabalhar para correr atrás do meu”, ressaltou Michel.

São 17 vitórias e duas derrotas no MMA para Michel Pânico, que enfrentará o russo Abdulmutalib Gairbekov. O brasileiro já vive há algum tempo na China, tendo lutado em eventos no país. Hoje situado em Xangai, Michel espera que uma vitória o coloque perto dos eventos mais importantes do mundo no MMA.

“Sempre sonhei em lutar no ONE e no UFC. Cada vez mais amo a Ásia e acredito que eu consiga fazer um bom dinheiro no ONE. Me vejo lutando e vencendo os principais nomes da minha categoria, que é o peso-pena. Só preciso de uma oportunidade para provar isso. Tenho um estilo diferente, sou agressivo dentro do cage e engraçado fora dele. Tenho certeza que eu conseguiria atrair um bom público para minhas lutas. Só preciso de uma chance e espero que esta luta seja a porta de entrada”, ressaltou.

LEIA MAIS

GSP sugere motivo de negativa do UFC para luta contra Khabib

(Crédito da foto: Divulgação)