Andrés Sanchez deve R$ 24,5 milhões em impostos cobrados pela União; segundo site

O atual presidente do Corinthians nega ser sócio em uma das empresas citadas e justamente a responsável pela maior parte da dívida

Tathiane Marques
Colaborador do Torcedores

Crédito: Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians

Além do time passar por diversas cobranças judiciais, agora é a vez do presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, ser cobrado no valor de R$ 24,5 milhões pela Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN). As informações foram obtidas através de extratos que a Folha de São Paulo teve acesso.

As dívidas, no entanto, não foram detalhadas pelo orgão, mas tem como base tributos, como impostos de renda, contribuição social sobre o lucro líquido (CSLL), além de PIS e Cofins.

Em relação aos valores que estão sendo cobrados do presidente corintiano, se dividem em nove inscrições de dívida ativa, variando de R$ 427 mil até R$ 7,9 milhões.

De acordo com a defesa de Andrés Sanchez feita pelo advogado, João dos Santos Gomes Filho, as cobranças são confirmadas, mas a legitimidade delas são questionadas. E o defensor alega perseguição política.

“O Andrés está nessa situação porque é de esquerda, é amigo do Lula, é presidente do Corinthians. O Andrés tem uma ligação muito grande com o Lula, que sempre foi alvo desse governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL)”.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!

A Procuradoria Geral da Fazenda não se pronunciou sobre as declarações do advogado. Mas o mandatário alvinegro é cobrado por dívidas de quatro empresas, sendo três registrado como sócio e em outra, a justiça afirmou que foi utilizado ex-funcionárias para seu nome não aparecer na empresa.

A Orion Embalagens Limitada registrada na cidade de Caieiras, não está mais funcionando, mas tem uma dívida ativa na União no valor de R$ 18.880.084,59.

Segundo documento da Junta Comercial do estado de São Paulo, a empresa consta como sócias Eliane Souza Cunha e Nilda Maria da Cunha, as duas são ex-funcionárias de outra empresa que Andrés é sócio, Sol Embalagens Plásticas.

As duas citadas anteriormente acusam o mandatário corintiano de utilizá-las como laranja na abertura da firma e que a ‘Orion’ seria para estocar material da ‘Sol’, além de ser um meio para aquisição de crédito bancário e comercialização de mercadorias.

Siga o Torcedores também no Instagram

“A justiça reconheceu que a empresa pertence a ele (Andrés Sanchez). A polícia federal encontrou elementos que comprovam que elas são inocentes e foram apenas laranjas na Orion” – declarou Mirian Dias de Souza Lemos, advogada de defesa das duas envolvidas.

O presidente do Corinthians tem dívidas ativas além da Orion, em outras empresas como a Sol embalagens no valor de R$ 23.496, 25; a Quiron Distribuidora de Embalagens devendo R$ 5.661.494, 30 e a V.E. El Shadai Embalagens com débito de R$ 311. 255,63.

LEIA MAIS: