Brasileiro do Lyon precisou de ajuda de sogra e cunhado para montar DVD que rendeu segunda chance no futebol

Fernando Marçal contou com ajuda do cunhado e da sogra antes de acertar com clube em Portugal e atrair interesse de Jorg Jesus, atual treinador do Flamengo, na época do Benfica

Rafael Brayan
Estudante de jornalismo. Colaborador especialista e editor-plantonista do Torcedores.Twitter: @rafaelbrayan_

Crédito: Divulgação

Lateral titular no Lyon, da França, o brasileiro Fernando Marçal passou por diversos obstáculos na carreira até fazer sucesso na Ligue 1. Em entrevista exclusiva ao Torcedores, o jogador relembrou período na base de Portuguesa, Corinthians e Grêmio. O atleta chegou no time gaúcho em 2005 e passou cinco temporadas na equipe.

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!

“Cheguei no primeiro ano de juvenil e fiquei até a transição de jogadores para o profissional. Foi quando mudou a direção do Grêmio”, contou Fernando Marçal. “Nessa mesma altura, chegou uma proposta do Olympiacos (da Grécia) e o clube recusou a proposta. Ela não foi cumprida e apareceu a oportunidade de jogar o Paulista A2 no Guaratinguetá”.

Fernando Marçal assinou um contrato curto com o Guaratinguetá, conseguiu o acesso à elite do Estadual e chamou a atenção de outras equipes. “Meu empresário disse que não era para renovar com o time pois tinha um clube da Série A que estava muito interessado. Mandei a família para Porto Alegre, de volta para casa”, contou o jogador, que acabou ficando sem clubes semanas depois.

“Porém, ele me disse para esperar três dias. Passaram dez, 15 dias, eu cobrei e ele disse que tinha dado ‘para trás’, e aí eu fiquei sem clube. A família estava tranquila porque tinha acabado de sair do Guaratinguetá, mas depois de um mês ficou bem apertado. Contei com ajuda da minha sogra”.

Chegada à Europa

Sem clube no Brasil, Fernando Marçal contou com encontro ao acaso e achou um caminho para a Europa.  “Foi aí que eu fui jogar bola com alguns amigos em Porto Alegre, sem clube mesmo. Encontrei o Junior Botelho, um atleta que era do Grêmio e ele me disse que o empresário dele queria um jogador para a segunda divisão de Portugal”, contou o lateral.

Para poder tentar chegar ao novo clube, em Portugal, Fernando Marçal precisaria enviar um DVD com lances da carreira. O lateral contou com ajuda do cunhado, que ajudou a editar os melhores momentos e mandar para a Europa. “O presidente gostou do vídeo e eu acabei indo para o Torreense”, contou.

“A intenção foi utilizar o clube como trampolim. Assinei dois anos de contrato e, quando cheguei lá, o clube era da terceira divisão (e não da segunda, com afirmaram)”, destacou Fernando Marçal. “Minha adaptação na Europa não foi tão difícil. A formação de Grêmio é muito parecida com o que se faz lá”, completou.

Depois de uma temporada e meia, o lateral brasileiro chamou a atenção do Nacional, da primeira divisão, e foi contratado. “Fiz bons campeonatos, chamei a atenção de diversos clubes, entre eles o Benfica. Acabei escolhendo em jogar lá, acredito que foi a melhor decisão”, disse. “Eu assinei com o Benfica a pedido de Jorge Jesus (atual treinador do Flamengo) e ele acabou não renovando o seu contrato, e indo para o Sporting. Isso dificultou minha continuação no clube”, completou.

Após isso, Fernando Marçal jogou no futebol turco e no francês, onde chamou atenção do Lyon. “Eu tenho dois anos e três meses aqui. Estou muito contente. É um clube excelente”, disse o lateral, que também comentou a chegada de brasileiros no comando da equipe.

“Nesse ano, a expectativa estava muito grande por causa da chegada do Juninho Pernambucano e do Sylvinho. As coisas pareciam correr bem no início, mas os resultados fizeram com que o treinador caísse”, comentou.

Sylvinho no Lyon

Sylvinho foi demitido na última semana após poucas partidas no comando do Lyon (Divulgação/Lyon)

Fernando Marçal ressaltou a experiência de ser comandado pelo treinador brasileiro e lamentou sua saída. “Foram três meses de trabalho com Sylvinho. Tem um futuro incrível, um potencial gigantesco. Infelizmente ele saiu. O plantel estava com ele, mas é futebol. Mandei mensagem para ele desejando sorte e espero que ele tenha o melhor futuro possível”, disse o lateral, que também falou sobre o diretor brasileiro.

“Juninho é um diretor muito participativo, sempre tentando motivar os jogadores e contando experiências que teve no futebol para tentar no ajudar de alguma maneira. É um cara muito gentil, muito educado. Tenho certeza que vai fazer um grande trabalho aqui no Lyon”, afirmou.

Lateral sonha com chance na seleção brasileira

Fernando Marçal ainda sonha com uma oportunidade na seleção brasileira. O jogador acredita que com a passagem de Sylvinho, ex-auxiliar de Tite, os olhos do treinador da CBF também parem e analisem os jogadores do Lyon.

“A seleção brasileira é o sonho de todo jogador. Esse é o maior sonho que tenho, mas a gente sabe que é consequência do trabalho feito no clube. Com o Sylvinho tendo passado pelo Lyon, espero que o Tite olhe mais para cá. O objetivo é fazer um bom trabalho e chamar atenção, realizando esse sonho”, comentou o lateral.

Neymar desrespeitou o PSG, mas tem futebol para dar a volta por cima

Lateral de um dos rivais do Paris Saint-Germain na França, Fernando Marçal comentou a novela sobre o futuro de Neymar na última janela de transferências.

“Está pagando pela má decisão que teve. Tem todo direito de querer sair do clube, mas poderia guardar para ele, para as pessoas mais chegados. O PSG fez de tudo para trazer ele para cá (na França). Faltou um pouco do respeito e ele vai sofrer com isso durante a temporada”, disse.

“Mas estamos falando do Neymar, né? Ele é diferenciado, que decide o jogo. Ajudou o PSG nas últimas rodadas. Seria muito mais difícil se essas vaias fossem outro jogador, mas isso ainda vai levar um tempo”, completou Fernando Marçal.

Elogios para promessa brasileira do Lyon

Fernando Marçal e Jean Lucas no Lyon

Fernando Marçal (esquerda) e Jean Lucas (centro) são alguns dos brasileiros do elenco (Divulgação/Lyon)

Além do lateral brasileiro, o time da França tem Marcelo, Thiago Mendes, ex-São Paulo, e Jean Lucas, ex-Flamengo e Santos, representando o futebol nacional no elenco. De acordo com Marçal, o último tem grande potencial para brilhar na Europa e é um maiores animadores do vestiário.

“O Jean Lucas é um menino excepcional, muito alegre. Brinca com todo mundo, mesmo não falando a língua. Todo mundo do plantel gosta. Está sempre dançando, sorrindo, bagunçando para caramba”, afirmou.

“Como jogador ainda está se adaptando ao futebol francês, à língua. Ainda vai levar um tempo para se adaptar. Mas em pouco tempo vai estar fazendo o sucesso que tem no Brasil. Nota-se o talento que tem com a bola nos pés. Só precisa de tempo para decolar”, concluiu o lateral brasileiro.

LEIA MAIS:
Jornal francês coloca Laurent Blanc e Jorge Sampaoli na mira do Lyon para substituir Sylvinho
Lateral brasileiro joga bem e Lyon se qualifica para oitavas de final da Champions League