Colunistas do Torcedores opinam sobre calendário de 2020 da CBF

Arnaldo Ribeiro (São Paulo), Mauro Beting (Palmeiras), Vitor Guedes (Corinthians), Gabriela Brino (Santos), Allan Abi Madi (Flamengo) e Allan Simon (Mídia Esportiva) não pouparam críticas à CBF

Márcio Donizete
Jornalista desde 2012, com passagens pelos jornais ABCD Maior e Diário do Grande ABC, além do canal NET Cidade. Foi repórter colaborador, líder de colaboradores e hoje é editor no Torcedores.com.

Crédito: Divulgação/CBF

A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) divulgou nesta quinta-feira (3) o calendário da temporada 2020. As grandes novidades são a presença de um jogo da Copa do Brasil em um domingo; e as rodadas do Brasileirão, que serão paralisadas em Datas Fifa – exceto na Copa América, que não paralisará o Campeonato Brasileiro.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!

Os colunistas do Torcedores opinaram sobre o assunto e compartilham praticamente a mesma visão: de que a entidade que gere o futebol brasileiro  pelas mudanças divulgadas, principalmente quanto à não-paralisação do Nacional enquanto a Copa América for jogada, o que prejudicaria clubes que tiverem jogadores convocados por 10 rodadas.  Confira:

Arnaldo Ribeiro – colunista do São Paulo

“O calendário da CBF em 2020 não surpreende, o que surpreende é ter mais uma Copa América, mais uma competição de seleções. Já que os Estaduais não vão acabar, o problema são as competições de seleções. Ninguém suporta mais tanto jogo da Copa América, e ela vai ‘estrupiar’ o Campeonato Brasileiro.

Como já sabíamos disso, aí vai um recado direto ao Tite: durante a Copa América, nos jogos do Brasileiro ele não deveria chamar ninguém que joga no Brasil, como ele vem fazendo neste ano. É um recado ao Tite. O calendário de 2020 é um recado ao Tite.”

Mauro Beting – colunista do Palmeiras

“Ainda é um calendário sem cabimento. Mas está menos pior por reduzir estaduais e não bater de frente com Data Fifa. Mas a bola não parar durante Copa América e Olimpíadas é péssimo.”

Vitor Guedes – colunista do Corinthians

“A ‘armagedônica’ CBF tem uma qualidade: ela é previsível. Ela jamais surpreende ninguém. Sabe aquela frase do Zagallo? ‘Aí fomos surpreendidos novamente’? Nunca acontece com a CBF. O calendário consegue ser pior que o anterior. Todo ano a desculpa é patética. A Copa do Mundo existe a cada quatro anos; Olimpíadas a cada quatro anos; Copa América ano sim, ano também, e todo ano eles são surpreendidos pelo calendário, que é um absurdo.

O calendário 2020 consegue ser patético, ‘armagedônico’, apocalíptico que o atual. É uma vergonha os clubes ficarem nove rodadas sem o jogador, ter nove rodadas de Brasileirão durante a Copa América. Se você tiver um time minimamente bom com jogadores selecionáveis brasileiros, argentinos e colombianos, você é punido. Quase ninguém joga bola no Brasil, e quem joga vai estar na Copa América, e vai ter campeonato durante a Copa América. Um absurdo total.

E tem outra, durante as Olimpíadas não haverá Data Fifa. Ou seja, o jogador que estiver nas Olimpíadas vai perder semifinal de Copa do Brasil, oitavas da Libertadores. Os clubes são tão patéticos quanto à CBF. Vê se o Real Madrid aceita isso no Espanhol, Liga dos Campeões, Copa do Rei ou raio que o parta. Aqui, Corinthians, Santos, São Paulo e Santos aceitam essa palhaçada.”

Gabriela Brino – colunista do Santos

“A CBF mais uma vez anuncia mudanças teoricamente positivas ao clube e, na prática, cria impedimentos para quem pretende investir alto. Um jogador convocado para a Copa América ficaria sem jogar nove rodadas, quase 1/4 do Campeonato Brasileiro. Não adianta aliviar de um lado e prejudicar de outro. O cobertor curto continua.”

Allan Abi Madi – colunista do Flamengo

“O calendário brasileiro deveria se adequar ao resto do mundo, como o europeu. O prejuízo não é apenas por convocações. Talvez, o calendário faça os clubes sofrerem mais com a janela de transferências. O início da temporada no Brasil é meio de temporada nos outros lugares, ou seja, atrapalha o planejamento, já que é bem mais complicado um clube daqui se reforçar com jogadores do exterior.

No meio do ano, quando os clubes estão no disputando as competições mais importantes do Brasil, a janela do exterior costuma fazer estrago, obrigando muitos clubes remontarem seus times por conta de venda de atletas para fora, isso tudo durante a disputa dos campeonatos. Além disso, tira os principais jogadores das competições da própria CBF. A mudança no calendário para 2020 é um avanço, mas um avanço bem pequeno. Veremos nos próximos anos.”

Allan Simon – colunista de Mídia Esportiva

“Esse calendário é uma vergonha, não vai resolver problema nenhum dos clubes. Mas os estaduais são os responsáveis por isso. Sem eles, o Brasileirão teria mais datas disponíveis de fevereiro a dezembro. Só que, ao mesmo tempo, o Paulistão, por exemplo, tem metade das maiores audiências da Globo em SP até agora em 2019. Como confrontar isso? Os clubes e a CBF um dia vão ter que abrir mão de algo. Sem ceder em nenhum ponto, o calendário será sempre ruim.”

VEJA MAIS
Renata Saporito: Jornalista, torcedora, com muito orgulho, com muito amor
Juliana Veiga: Eu respiro esporte, e você?